Mictório Unissex

Os melhores tweets da história (ou não)

Posted in Twitter by Igor on 17/10/2013

Já que esse blog não atualiza desde muito tempo, resolvi postar aqui alguns tweets que na minha opinião que não vale centavos são os melhores da história do Twitter. Esse post também serve como uma forma de desperdir-nos do amado botão “Favoritos” do Twitter, que agora virou “Curtir” sem nenhum medo de deixar claro que tá pegando a mesma onda que o Facebook.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É isso. Se você achou uma merda e tem tweets muito mais engraçados (claro), comente. Tchauiiii!

Anúncios
Tagged with: , ,

5 coisas que poderiam acabar no lugar do Google Reader

Posted in Facebook, Humor, Internet, Listas, Tecnologia, Texto, Twitter by Igor on 13/03/2013

Hoje a Google anunciou que em julho descontinuará os serviços do Google Reader. Muitas pessoas gritaram, outras cortaram os pulsos, e teve gente fazendo petição no Avaaz pra que a Google não descontinue o serviço, porém… É a vida. Pra amenizar as dores e demonstrar que muitas coisas poderiam deixar de existir no lugar do GReader, aqui vai uma lista de cinco coisas que iriam tarde.

5. Bing

Bingilim

Não vejo lógica alguma em criar um site de busca numa internet onde já existe o Google. Aqui a gente dá de cara com um padrão dessas empresas ~internéticas~: a vontade quase exorbitante de querer estar presente em todas as tarefas dos usuários, sem exceções, e assim conquistar total fanatismo. A Microsoft deveria parar de tentar roubar a clientela dos outros e investir no que realmente sabe fazer: vender software barato (BEIJOS!).

4. Cutucadas no Facebook

Só no cutuque

Pra que isso existe? Existia algum motivo? Foi criado em algum momento de solidão e perversão na vida de Mark Zuckerberg? Hoje, este rapaz já casado, deveria ter vergonha de deixar tal conteúdo disponível na maior rede social do mundo, já que NINGUÉM USA ESSA MERDA. Sério, você já viu alguém usando isso seriamente? E se sim, delete essa pessoa, ela com certeza não estará fazendo nenhum bem a você.

3. Listas no Twitter

Minhas lindas listas

Até que era uma ideia interessante, e o Facebook agora teve a magnifica ideia de organizar o feed de notícias com listas do mesmo tipo, porém pré-feitas. Mas no Twitter, isso já não tem mais nenhum uso. O pessoal está lá pra ler tudo e todos, se estivessem interessados em apenas um nicho, se envolveriam com esse nicho em algum outro lugar ou conversa. E olha que o Twitter falhou poucas vezes, hein.

2. Orkut

Orkutizou

O Orkut fez muito sucesso lá pra 2005, quando o pessoal ainda tava aprendendo a engatinhar nas redes sociais. O esquema não tinha absolutamente nada a ver com o que é considerado rede social hoje em dia, e só fez sucesso porque pegou um pessoal de gaiato com a história dos convites. Foi massa, mas… Cara. A Google comprou o Orkut por achar uma ótima ideia ter uma rede social, já que o Facebook estava se popularizando mundialmente, e CAGOU no negócio. Depois, vendo que o Orkut não vingaria, criou o Wave, que no começo até tinha uma proposta legal, mas que sem público não viraria nada. Não virou. Aí a Google teve a ideia do século, e criou…

1. Google+

Google-

A rede social mais idiota do mundo. Por causa de quais infernos a Google acha que as pessoas deixariam o Facebook pra ir pruma rede social deles? Rede social essa que não faz nada mais que o necessário pra poder se chamar rede social. Não tem porque, por isso ainda é um projeto falido. As vezes passo por lá e vejo umas moscas respirando profundamente naquela atmosfera rarefeita e com pouca movimentação. É a mais nova tentativa da Google de roubar clientes de concorrentes. Desista, Google, desista.

E deixe o Google Reader! A gente o ama. Nós o amamos. Ele é perfeito. É a melhor coisa, além de Gmail e a pesquisa, que vocês fizeram em todas as suas vidas, inclusive depois da integração com a merda do Google+. Escutem seus admiradores e não nos tire nossos doces. Obrigado.

Assinado: Internets.

Tchau Greader! :(

Conflito de geração, interesses e a vagabundização da internet

Posted in Artigo crítico, Crônicas, Internet, Tecnologia, Texto by Igor on 13/12/2012

Pensive Businessman Using LaptopO conflito de gerações é bem conhecido por aqueles que nasceram pelo menos nos anos noventa. É estranho pensar que uma criança que nasceu depois do 11 de setembro já tem onze anos, ou que as músicas dos anos 2000 já são consideradas old. Mas do que venho falar aqui é de algo completamente diferente. Vou falar do conflito de gerações em proporção micro, que acontecem de ano em ano. E a responsável é a tecnologia.

No começo dos anos 2000, a popularização da internet trouxe o serviço para a maioria das casas no mundo. Com a evolução da usabilidade e da tecnologia, a internet já se tornou um elemento essencial móvel. É impossível não lembrar das várias profanações antes ditas sobre o serviço. A internet móvel era vista como uma desnecessidade, um luxo. E agora, é um requisito, apesar do argumento ainda ter seus apoiadores conservadores.

Enquanto sentíamos vergonha de dizer que passávamos grande tempo das nossas vidas na internet, a tecnologia evoluía, e nos trazia o futuro dos conflitos de geração. A vergonha era pela imagem errônea de que a internet era tipo de lazer, apenas um passa-tempo, e essa mentalidade vem desde antes da sua própria invenção, com a grande semelhança entre vídeo-games e os principais propósitos de um computador caseiro. Símbolo de mudança, foi quando Marco Gomes, fundador da boo-box, empresa de publicidade e mídias sociais, certa vez respondeu à pergunta “Quanto tempo você passa na internet por dia?” com um simples “todo momento” .

Hoje em dia, a tecnologia avança como nada antes visto. É como se o propósito do século XXI fosse chegar o quanto antes à perfeição. E com esse processo de alcance da perfeição, foram se criando regras invisíveis à conduta na internet, principalmente com a chegada das mídias sociais. O “desespero” do alcance da perfeição fez a necessidade de conteúdo e o nível de qualidade destes conteúdos aumentarem. A diversificação ainda continuaria existindo, como a livre concorrência, mas quem se destacar rouba todo o mercado. Ou o mercado simplesmente não se interessa mais.

A Google tentou várias vezes implementar redes sociais em seus serviços para competir com o Facebook, e até chegou a comprar o Orkut, grande potencial no passado, haja visto a quantidade de usuários e a prioridade que esses usuários davam à rede. O Orkut foi devorado pelo Facebook e seu conteúdo original de qualidade. Foi esquecido pela maioria de seus usuários e deixou a Google de novo sem rede social. Isso é demonstração de engajamento com o cliente e com a qualidade do produto.

Com a chegada do Facebook, a visualização e compartilhamento de conteúdo se tornaram mais evidente, e os usuários, antes acostumados a ver apenas o conteúdo se fossem buscá-lo, agora se tornaram obrigados a ver qualquer coiss. É aí que começa o choque de geração, e, por que não, o conflito de interesses. Aquela pessoa que antes só publicava sobre alguma coisa em tópicos em comunidades agora te mostra quais seus interesses são de cara, na sua tela.

O compartilhamento de informações causa conflitos, e a saída que os chocados encontram é o total desprezo, ou a ignorância para com tais conteúdos (ou, nos piores dos casos, a facetização) de aspectos que não lhes convêm, ou não são compreendidos, tornando a relação em rede complicada e conflituosa. Aqueles que algum dia deixaram de seguir, ou estenderam seus costumes, hoje são hostilizadores e conservadores quanto à maneira de viver e os ditados errôneos de uma geração que descrevia a internet como lazer ou vídeo-game.

Máfia orquestrada

Posted in Ateísmo, Ciência, Internet, Política, Religião, Texto, Twitter by Igor on 30/08/2012

Fica muito repetitivo falar sobre a Marisa Lobo de novo? Eu sei que fica, mas a mulher tá cada vez mais ~polêmica~! Eu não tenho nada a ver com a vida de ninguém e não quero ditar regras, mas pelo bem do alívio cômico: essa mulher não trabalha? Eu vou dormir e ela tá tweetando, eu acordo e ela tá tweetando… GOSH! Agorinha foi o ápice global da hipocrisia da Marisa Lobo. Percebam, por favor, que eu não estou atacando ninguém, só estou reproduzindo o que ela escreveu e dando minha opinião. Quem ataca é ela.

Ela está dizendo que a “mídia tendenciosa” (seja lá o que isso quer dizer); o CFP, Conselho Federal de Psicologia; os grupos GLBTT, gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais; os ateus; os relativistas (?), e os cristãos sem compromisso estão formando uma máfia orquestrada para mudar o código penal. Certo?

Se eu conheço Marisa Lobo bem o suficiente pra acreditar no que eu acredito, então ela está querendo dizer que vários grupos (de nenhuma correlação, apenas alguns que têm em comum a militância, e outros o poder) estão numa luta contra a imposição de uma outra máfia orquestrada muito mais antiga que essa suposta aí: o conservadorismo cristão.

Percebam: o cristianismo é uma religião. Quem segue, segue. Segue e vai pra instituição deles, a igreja. Protesta na igreja, expõe preconceito na igreja, queima bruxas na igreja, escraviza na igreja, extorque na igreja. O que acontece dentro da instituição de sua religião, e que é praticado pelos seus crentes e seguidores, é problema só seu. Lá você pode fazer o que você quiser e se basear nas leis da sua religião da maneira que quiser. Completamente diferente é querer impor essas regras nas pessoas que estão fora desse perfil. Eu sei que esse discurso pode chegar a ser repetitivo, mas é pra ser. Os problemas estão aí e eu acredito que sem repetição nada é notado.

O deus da sua religião, nos olhos da justiça é só mais uma mitologia. Os seus valores morais, nos olhos da justiça, são só valores morais de uma ideologia distinta do Estado. Ou deveria ser. Se há algum grupo aqui que está querendo impor sua ideologia e que pode ser classificado como máfia orquestrada, esse grupo é o seu, de conservadores cristãos! Então pare de atacar o Conselho Federal de Psicologia, que usa a ciência para ditar métodos. Pare de atacar os GLBTT, que têm todo o direito de expor suas opiniões e quererem igualdade na sociedade bitolada. Pare de atacar os ateus, que só por não crerem na mesma baboseira que você parecem no seu ponto de vista não merecerem o respeito no Estado democrático (e laico!). Pare de ofender os cristãos sem compromisso, pois esses sabem discernir o Estado da religião, ao contrário de você. Pare com esse proselitismo e comece a ler e a fazer seu trabalho de maneira correta. Deixe sua relação com sua família em casa, deixe sua religião na igreja.

E nenhuma foda foi dada naquela madrugada

Posted in Facebook, Humor, Internet, Twitter by Igor on 19/03/2012

Graças aos amáveis amigos da página Os Melhores do Twitter. Os cegos clicarão pra ampliar. Btw, deixei os posts mais ~engraçados~ com o fundo diferente para mais rápida apreciação dos leitores apressados.

Não crê? Olha aqui: https://www.facebook.com/MelhoresDoTwitter/posts/265763076839636*

And not even a single fuck was given that day…

* = Atualização: Apagaram o tópico. Podem crer que eu acordei hoje e fui ver o que tinham escrito depois disso tudo e não achei nada… Triste. Mas mesmo assim, né.

A Orkutização do Orkut estimada

Posted in Internet, Twitter by Igor on 06/12/2010

E é isso.

Saiba quem te favoritou no Twitter!

Posted in Guia Prático, Internet, Twitter by Igor on 20/02/2010

Desde que o Twitter existe, a ferramenta de favoritar tweet não tem um contador, ou indicador, como tem os retweets e os replys. A curiosidade faz com que todos nós tenhamos vontade de saber quem favoritou nossos tweets e quais foram os tweets. Tem gente que favorita pra deixar marcado e ver depois e tem gente que favorita porque gosta. Ah, e também te gente que favorita sem motivo nenhum; garanto que vocês vão achar tweets seus que foram favoritados sem motivo.

E pra saber quais e por quem foram favoritados, você precisa entrar no Favotter, ou no Favstar, dois sites que guardam os favoritos de todo mundo. É só entrar, digitar seu usuário e pronto. Lá estão seus tweets favoritados. Clique nas imagens e vocês serão logo redirecionados pros sites.

1. Favstar

2. Favotter

Espero ter sido útil. Boa tarde.

Lucas do Fresno e a falsa liberdade

Posted in Com desabafo, Internet, Música, Twitter by Igor on 12/12/2009

Sempre fui contra essas hypes do mal, que falam mal de NX Zero, Fresno e todas essas bandinhas do mundo 2.0 sem antes conhecer o trabalho de cada uma. Porque os caras do Fresno fazem música Emocore, as pessoas cismam em criticar o estilo. Tem quem gosta, não tem? Se não tivesse, essas bandas não estariam fazendo esse puta sucesso do caralho.

O senhor Lucas, do Fresno, postou no Twitter o seguinte – depois de ser criticado por falar de RBD:

A gente tende a projetar um ideal de perfeição em todo mundo que a gente não conhece. Cada decepção toma proporções irreparáveis. E isso é errado e cruel. Vivemos uma época em que todo opina sobre tudo, o tempo todo, para todo mundo ver. Não se guarda mais nada pra si. Se a gente se preocupa em agradar a todos o tempo todo, acabamos decepcionando a nós mesmos.

Concordemos que, o vocalista dessa banda, Fresno, tão socialmente criticada, deveria ser a favor da não mudança de estilo. Ou seja, continuar com o emocore sem querer saber do que os outros pensam, já que acredita que a pessoa se decepciona ao fazer o que não gosta. É preciso seguir seu estilo pra fazer com que seus fãs continuem a te cultuar como o fazem hoje em dia. Nunca um artista de Folk vai fazer uma música Rock n’ Roll só porque disseram que preferem esse estilo. NUNCA!

E aí ele começa a falar que não tem liberdade… Que o mundo precisa de liberdade e que isso transformaria o mundo num lugar melhor e blá blá blá. A tão conhecida liberdade hipócrita/falsa foi posta em pauta. A liberdade falsa é aquela liberdade que você tem, só que, por usufruir dela de maneira independente, tem o ato criticado e você se sente pressionado. A liberdade existe e você não consegue lidar com as conseqüências.

Os fãs de Fresno estão retuitando o vocalista, que está postando uma crítica à falta de liberdade. Liberdade falsa e hipócrita. A pessoa quer a liberdade que ela já tem. Crítica confundida com falta de liberdade… Uma pessoa fazer uma crítica negativa a sua música, não significa que você não tem liberdade! A libredade tá aí. E as conseqüências também. Ou uma banda se aceita como uma banda com estilo, ou vão viver na mesmice de agradar a todos. Você tem que fazer a SUA música pros SEUS fãs que gostam do SEU estilo. Querer que todo mundo aprove é ser irrealista. Se isso acontece, mais parece que a pessoa está querendo ouvintes, e não apreciadores, fãs, seguidores, cultuadores…

E no fim, ele apagou o tweet sobre RBD e se desculpou por falar mal. Princípios, KD?

Twitter: ferramenta de “update later”

Posted in Internet, Twitter by Igor on 23/11/2009

Desde o Substitwit que eu venho pensando numa ferramenta que faz updates pré-feitos no tamplate oficial do Twitter, sem nenhum aplicativo ou plugin. Fiz esse “rascunho” no Photoshop pra mostrar um pouco do que eu penso. Vejam e digam o que pensam sobre o botão de “update later”.

1. O botão

Nesse primeiro exemplo, eu mostro como ficaria o botão de update later na página inicial. Ao lado do botão de update now. Uma caixinha mais escura que o famoso #ffffff involverá os dois pra criar um elo de ligação, mostrando que os dois significam a mesma coisa, só que funcionando em horários e com supervisão diferentes.

2. Ao passar o mouse no botão…

A princípio, essa caixa apareceria pra explicar aos desprovidos do entendimento o que o “update later” faz. Simples.

3. Indicando um horário

Como o update será postado no futuro, é óbvio que as opções de horário serão apenas futuros ao atual. No meu rascunho, fiz uma coisa mais… redonda. Sem muitos horários além de 2pm ou 2h30pm, na caixinha. Mas é claro que uma caixa de texto poderia abrir também para serem inseridos valores.

4. Como o update aparece

Eu colocaria uma opção de cancelar o update se todo o layout criado não fosse atrapalhar esse botão, então, fica pros desenvolvedores do Twitter pensarem em como o resto funcionará.

Eu, modéstia aparte, acho que a ferramenta seria util demais. Sem argumentos para explicitar isso, mas que seria útil, seria. E você concorda, don’t you? Sigam-me: @igorzets.

O novo escritório do Twitter

Posted in Design, Internet, Tecnologia, Twitter by Igor on 16/11/2009

Hoje a equipe do Twitter reformulou completamente o escritório da marca – na verdade eles mudaram de lugar, mas achei mais legal falar que “reformularam”. Deixaram-no mais bonito e simples, seguindo os novos estereótipos de design usados na versão atual da ferramenta. Veja as fotos abaixo.

Eu achei que essa fosse a casa dos meus sonhos, mas se todos insistem em dizer que é o novo escritório do Twitter, eu aceito. Fotos via @vl, 15 minutos atrás. Mais no link da mensagem.

Tagged with: , , , ,

Como descobrir se alguém parou de te seguir no Twitter?

Posted in Internet, Twitter by Igor on 04/11/2009

Se você é uma daquelas pessoas que já se sentem rejeitadas quando não são convidadas pra alguma festinha ou reunião, ignore esse post, pois ele fará muito mau a você. Aqui eu vou mostrar ferramentas que, de alguma forma, “avisam” quando alguém para de te seguir no Twitter.

A primeira dica, e mais completa e eficaz é o Twitterless. Ele, quando alguém para de te seguir, te manda uma mensagem direta (DM), que é privada, com estatísticas e nomes. É uma ferramenta ótima e discreta pois, ao contrário do ex-@followermonitor, não expõe a todos o nome de quem parou de te seguir e se parou. Pra ativar é só seguir o perfil especificado.

Qwitter

A segunda é o Qwitter. Ele é o mais famosinho dos três, só que eu testei e não consegui fazer ele funcionar. O intuito é: quando alguém para de te seguir, ele manda um e-mail igual ao que o Twitter manda quando alguém começa. Parece ser útil. Quando funciona. Também trabalha anonimamente.