Mictório Unissex

Macacos Aquáticos respondem!

Posted in Ciência, Vídeos by Igor on 27/09/2012

Nunca consegui compreender o porquê da perda de pelo nos macacos durante a evolução, por via de seleção natural. Pensei, e recebi respostas de professores muito parecidas com minhas suposições, que talvez fosse por causa do clima quente, que faria com que os pelos fossem desnecessários. Mas isso não me deixava satisfeito… Qual é a lógica quanto à seleção natural relacionado ao calor? O calor não mata e, pelo que sabemos, seria melhor ter pelos num lugar com muito sol ou calor. Mas enfim, outras coisas me deixavam encrencado: a capacidade de fala dos seres humanos, assim como a capacidade de andar sobre os membros inferiores, e finalmente encontrei respostas.

É claro que não julgo qualquer teoria como correta ou verdadeira, mas essa me chamou atenção por justamente solucionar e explicar de maneira inteligente e concisa as dúvidas que eu tinha. A ciência não prova nenhuma das teorias que envolvem a grande Teoria dos Macacos Aquáticos, mas a lógica responde, e para que eu possa acreditar de verdade, preciso da opinião de pessoas que estudaram biologia, física, e todas essas artes maravilhosas que compõem a Ciência. Aqui vão as teorias com alguns ajustes feitos por mim com a ajuda de artigos e da Wikipédia. Encorajo todos a criticar e tentar explicar como isso pode ser cientificamente provável ou como isso pode ser cientificamente descartado.

Os possíveis motivos da vida aquática dos macacos

Por viverem em áreas onde eram muito prováveis os encontros com predadores de grande porte como leões, os macacos começaram a migrar suas pequenas civilizações (possivelmente constituídas de pequenas famílias) para as costas e beiras de lagos e rios para que, quando um predador chegasse, eles pudessem entrar na água e fugir sucessivamente.

Aqui, um pedaço em inglês do artigo que desencadeou as teorias quanto aos macacos aquáticos, publicado oficialmente em 1960 na New Scientist.

My thesis is that a branch of this primitive ape-stock was forced by competition from life in the trees to feed on the sea-shores and to hunt for food, shell fish, sea-urchins etc., in the shallow waters off the coast. I suppose that they were forced into the water just as we have seen happen in so many other groups of terrestrial animals. I am imagining this happening in the warmer parts of the world, in the tropical seas where Man could stand being in the water for relatively long periods, that is, several hours at a stretch.

Influência da água na postura ereta

Testes atuais mostraram que a maioria das espécies símias, como os Gorilas e Orangotangos, Chimpanzés e Bonobos e etc., se adaptam à água de uma maneira curiosa: a sustentação do corpo inteiro apenas nos membros inferiores, ou seja: em pé (Imagem). Isso acontece pela postura ereta possibilitar a respiração em profundidades maiores e também a locomoção de maneira mais rápida e dinâmica contra correntezas e pressão da água.

A influência da água na perda de pelos

Por causa do clima de savana os pelos dos macacos, que apenas saíam da água durante a noite, quando a maioria dos predadores estava dormindo, demoravam muito tempo para se secarem, o que fazia com que os animais se sentissem com frio à noite. Os que tinham menos pelos eram os mais propícios à sobrevivência, o que fazia com que os únicos aptos à reprodução na vida adulta fossem os com menor quantidade de pelo, fazendo assim a seleção natural por macacos com menos pelos.

É observável que muitos mamíferos que tiveram ancestrais aquáticos, como o elefante, o hipopótamo e o oricteropo (tipo de rato africano) são hoje pelados, ou, têm pouca quantidade de pelos no corpo. Seria isso uma coincidência? Sem destacar que todos os mamíferos que vivem na água não têm pelos, como o golfinho e a baleia.

Controle da respiração que proporciona a fala

A vida na água requeria muita dinâmica na respiração e controle sobre os buracos destinados à inalação de ar e bloqueio da entrada de água. Os macacos com sistemas respiratórios com tendência à formação de narinas e controle total da faringe e, consequentemente, da respiração, eram os únicos a conseguir sobreviver no convívio na água, tendo a capacidade de se reproduzir na vida adulta e passar adiante os genes relacionados à mutação do sistema respiratório.

Obviamente, a capacidade da fala só existe porque temos o cérebro melhorado a ponto de conseguirmos ter total consciência do que se passa no nosso corpo, e com isso, total controle das nossas ações, conseguindo assim formular palavras e montar um alfabeto e um sistema de vocabulário inteligente. Um experimento feito com chimpanzés, que provou que o único motivo que faz eles não conseguirem falar, é o sistema respiratório. Quando foram ensinados palavras simples como “mamãe”, os chimpanzés cobriam o nariz, bloqueando a saída de ar pelo nariz, fazendo com que todo o ar passasse pela boca e permitisse uma dicção quase igual à do ser humano.

Deixo aqui, para terminar, um vídeo da insistente pesquisadora Elaine Morgan, que há anos estuda a Teoria dos Macacos Aquáticos.

Anúncios