Mictório Unissex

Professor Ricardo Felício e seus absurdos

Posted in Artigo crítico, Ciência, Teoria da Conspiração by Igor on 22/05/2012

Vocês que viram a entrevista do professor Ricardo Felício e acreditaram piamente nos evidentes absurdos que ele apresentou como desqualificadores de evidências, leiam um pouquinho do que eu tenho pra dizer.

O cara disse com todas as palavras que a camada de ozônio não existe. Ok, obviamente, se você estuda química e física sabe que isso não é verdade. É praticamente um absurdo ouvir isso e não se assustar com tal afirmação.

Veja alguns trechos de textos e seus respectivos links (porque você também não deve acreditar em mim, e sim na ciência) abaixo.

Ozone is mainly found in two regions of the Earth’s atmosphere. Most ozone (about 90%) resides in a layer that begins between 6 and 10 miles (10 and 17 kilometers) above the Earth’s surface and extends up to about 30 miles (50 kilometers). This region of the atmosphere is called the stratosphere.

Texto retirado daqui: http://www.ozonelayer.noaa.gov/science/basics.htm

As camadas superiores da atmosfera recebem a radiação ultravioleta do Sol de curto comprimento de onda (200 nm), e esta, por fotodissociação origina a ruptura das moléculas de oxigénio molecular na camada que está situada entre os 80 e os 100 Km aproximadamente (ou seja, O2 = O + O). Estes átomos separados (O + O) podem combinar-se nesse caso individualmente com outras moléculas de oxigénio atómico, dando lugar ao ozono (O3).

Texto retirado daqui: http://br.monografias.com/trabalhos2/ozonosfera/ozonosfera.shtml

Todos os artigos publicados (ou não) em periódicos partem do princípio que a camada de ozônio existe. Não há nem como refutar argumentos sobre a existência. A negação não exclui o fato. Mas enfim. Acredito que o professor tenha se expressado mal, e tenha querido dizer, na verdade, que o BURACO nela não existe. Pois bem. Mais links:

Each year for the past few decades during the Southern Hemisphere spring, chemical reactions involving chlorine and bromine cause ozone in the southern polar region to be destroyed rapidly and severely. This depleted region is known as the “ozone hole”.

http://ozonewatch.gsfc.nasa.gov/index.html

Mais alguns:

http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=46314&op=all
http://www.theozonehole.com/ (inglês)

Ele ainda fala que a vegetação de um certo local não influencia num clima mais generalizado. Vejamos… Se a falta de vegetação não faz tanta diferença, como explicar o clima seco no Oriente Médio se não dizendo que ocorre por causa de massas de ar secas que vêm do deserto do Saara? Como que a massa Equatorial é tão diferente no Brasil? Será que não é por causa da existência de uma floresta gigantesca ali por perto, que é a AMAZÔNIA? Pois é.

Ao assistir a entrevista do professor no Jô, fica na cara que ele não tem argumento nenhum, só afirmações apelativas. Não há, na ciência, uma afirmação que possa ser feita da maneira que foi pelo professor na entrevista. Deve-se apresentar evidências. Pretendo procurar textos escritos por ele ou palestras, mas enquanto isso, todo meu conceito de baseia na entrevista do Jô Soares.

Só com esses aspectos já da pra ter uma noção do que é um troll dando aula de Geografia, né. Encontrei textos publicados que vão contra o conceito antrópico do aquecimento global. Dizem que isso é, na verdade, causado por causa do período em que estamos vivendo. Há estudos que mostram que esse aquecimento global pode ser por decorrência do aquecimento da terra depois de uma era glacial extensa. Mas essas afirmações nunca chegam a conclusões ousadas e sem fundamento como as do professor.

Também acredito que o ser humano não tenha tanto poder sobre a terra como achamos. A natureza se renova. Se ela precisar extinguir os seres humanos, extinguirá! E assim continuará seu ciclo natural. Se o aquecimento global for um aspecto antrópico, a nossa extinção só será adiantada por nós mesmos.

Mas enfim, espero ter aberto caminhos na mente de todos. Queria pedir desculpas a qualquer professor de Geografia que ler isso, e pedir que, se existirem erros ou precipitações no meu texto, que me corrija e eu farei uma atualização no post, sugestões de adaptação de texto também são bem-vindas.

[ATUALIZAÇÃO] Vejam esses três vídeos que o Pirulla e o Guilherme Tomishiyo fizeram falando com mais propriedade sobre o assunto. O primeiro é biólogo e o segundo é físico…

[ATUALIZAÇÃO 2] Argumentam que os amigos aí de cima são apenas vlogueiros, e pra não parecer chato aqui vai um vídeo que supre toda a sua necessidade de argumentação com apelo a autoridade.

Neil deGrasse Tyson é um astrônomo e diretor do Planetário Hayden no Museu Americano de História Natural em Manhattan’s Upper West Side. E agora qual vai ser o apelo? Ad hominem talvez?

Espero que esclareça ainda mais. :)

Todos os episódios de 1972 de Chaves

Posted in Arte, Humor, Internet, TV, Vídeos by Igor on 16/05/2012

Estou começando aqui uma sessão onde pretendo postar todos os episódios de Chaves, de 1972 até 1992. Hoje vou postar os de 1972, que são, na verdade, sketchs de um programa maior do Chespirito. Alguns episódios são completos, portanto têm também partes de outros sketchs sem serem da série original de El Chavo Del 8. Espero que vocês gostem!

O Mendigo / Remédio Duro De Engolir / A Moeda Perdida

Os Preços Do Doutor / Quem Canta Seus Males Espanca

O Despejo / O Boxeador / O Piquenique Voador

Procurando Emprego / Sujando o Quico / Os Balões Levam O Chaves

As Novas Vizinhas (ou Beijinhos) (3 partes)

 

 

Os Carpinteiros (dublagem Gábia)

A Zarabatana (dublagem Gábia)

E é claro, antes de terminar, uma lista dos 4 únicos episódios perdidos de 1972…

O Dia da Independência

Este episódio é perdido no mundo todo, inedito. Veja uma foto do episódio aqui.

Madruguinha

Este episódio também é perdido no mundo todo. Veja uma foto do episódio aqui.

Sem Pichorra Não Há Festa

Os Gesseiros

Espero que tenham gostado! Até o próximo post com os episódios de 1973. :)

Do it yourself: Kit de filmagem (infográfico)

Posted in Arte, Cinema, Design, Guia Prático, Infográfico by Igor on 24/04/2012

Pra quem é como eu, que tem vontade de fazer algo de qualidade sem muito dinheiro, pode começar a idolatrar os guias práticos que ensinam você a criar coisas que teoricamente deveriam ser compradas, os Do It Yourself. Achei um infográfico com algumas dicas de como fazer ferramentas úteis a cinegrafistas amadores com material regular, de casa!

Isso me lembrou aquele fatídico causo em que Steven Spielberg chegou e perguntou ao Fernando Meirelles como ele havia feito a cena da galinha no Cidade de Deus, que segundo ele teria lhe custado uma fortuna para se fazer em Hollywood. Imaginem a cara dele quando Meirelles disse que a cena foi feita com uma câmera amarrada com fita crepe num cabo de vassoura?

Vê aí como Meirellizar suas ferramentas nesse infográfico genial. Para aumentar é só clicar (oras!), e tem um link pra página original do arquivo no fim do post.

Página original do The DIY Filmmaker’s Toolkit

Mais algumas fotos da campanha “See the unseen” da Spuk

Posted in Arte, Cinema, Design, Mictório Unissex by Igor on 23/04/2012

Lembram desse post do MU lá de 2010? Pois bem, vi um post no Brainstorm #9 sobre uma campanha da LG que me deu coragem de continuar esse das imagens do Spuk. Eu não sei se eu não vi as outras na época ou se não haviam sido feitas, mas enfim. Aqui estão algumas, mais aquela dos Beatles.

As originais aí embaixo, caso você viva em outro mundo.

Atores fodas revivendo personagens fodas

Posted in Arte, Cinema by Igor on 21/04/2012

[ATUALIZAÇÃO PROS CHATOS]: Eu sei que isso é material de 2009, mas o blog é meu, o que refuta eternamente todos os seus argumentos sobre as regras da internet.

Deve haver um medinho nos atores de que um certo personagem faça tanto sucesso que ele seja apenas lembrado por aquele trabalho. Me diz que Daniel Radcliffe ja não é Harry Potter? E Elijah Wood não é Frodo? Pelo menos eles tiveram a oportunidade de brincar com tal medo – não necessariamente propositalmente com esse intuito.

A Empire fez uma sessão de fotos com alguns atores e seus respectivos personagens mais icônicos. Na sessão, a Empire conseguiu reviver personagens como Hannibal Lecter, Aragorn e Boromir, William Wallace e outros. Veja algumas fotos da sessão aqui e depois tem o link pras outras fotos no final.

Quando eu vi essa foto do Anthony Hopkins com a Jodie Foster até me arrepiei, imaginando as coisas que eles conversaram durante esse remake da parede de vidro do Hannibal…

Veja as outras fotos aqui!

Novo clipe do Foster The People

Posted in Arte, Música, Vídeos by Igor on 21/04/2012

Dia 25 sai mais um vídeo do Foster The People, banda que veio aqui no Lollapalooza e que tem músicas extremamente boas… Ve aí em baixo um teaser do clipe novo pra música Houdini, e em baixo uma versão acústica, que tem um violão digno de ser escutado em loop 300 vezes.

O vídeo vai ser dirigido pelos mesmos tios que dirigiram o clipe de Don’t Stop. Aqui a versão acústica de Houdini:

Fotos de bastidores de filmes cult

Posted in Arte, Cinema by Igor on 21/04/2012

Sempre tem aquele filme que você gosta mas só imagina aquelas situações e personagens no aspecto apresentado no corte final, não é? Por isso que as pessoas gostam de ver fotos de bastidores de filmes. Você vê como funciona a magia da edição. Então veja abaixo imagens de bastidores de filmes que todo mundo gosta e no final do post o link pro álbum com todas as fotos!

Star Wars

Planeta dos Macacos

O Senhor dos Anéis

Veja as demais fotos aqui!

Planeta dos Macacos: A Origem

Posted in Arte, Artigo crítico, Cinema by Igor on 18/04/2012

Finalmente assistí o Planeta dos Macacos: A Origem, do ano passado. Admito que fiquei surpreso, pois o pré-julgamento, desde quando assisti a versão de 2001, nunca mais saiu da minha cabeça quando o assunto era Planeta dos Macacos. Sou um fã que exige e condiciona muito de filmes que são baseados em obras originais que gosto.

A franquia de filmes baseados no livro La Planète des singes, de Pierre Boulle, começou lá em 1968, quatro anos depois da primeira edição traduzida do livro chegar à Inglaterra. Foi um sucesso, mesmo tendo apenas tido baseado do livro aspectos políticos e sociais, e não de enredo. O filme conta a história de 4 astronautas que, ao se perderem no tempo, ou melhor: foram para o futuro. Lá os 3 astronautas sobreviventes da viagem (assista ao filme, ué!) chegam à Terra sem saber que é a Terra e descobrem que a sociedade daquele planeta é constituída por macacos. O filme tem o final épico e sempre lembrado do astronauta carinhosamente apelidado pelos macacos de “bright-eyes” encontrando a estátua da liberdade na praia e se dando conta de que o planeta em que está é realmente a Terra.

Em 1970 apareceu por aí o o segundo filme: De Volta ao Planeta dos Macacos, mostrando a continuação da jornada do remanescente astronauta e de mais um grupo que chega para supostamente salvá-lo. Logo veio o terceiro, o quarto, o quinto… e a crítica foi ficando mais rígida, como sempre! Nunca a crítica vai se acostumar com a inserção de elementos ficcionais novos. A crítica sempre vai achar que as novidades excederam o necessário para a história. Se você é um desses, veja só o primeiro (se conseguir).

Agora falando sobre a exaustiva crítica à utilização de animais em laboratório, que está presente desde o primeiro até o último filme (apesar de ser apresentado de uma forma mais rígida)… São os argumentos inversos que mexem com o sentimental do espectador. Ver macacos dominando os humanos é reconfortante depois de mostrado o domínio excessivo dos humanos acerca dos macacos. Foi disso que gostei no novo filme, Planeta dos Macacos: A Origem.

Você é apresentado logo de cara ao sistema de captura e uso de cobaias de chimpanzés em um laboratório de pesquisas de doenças (no caso, a Alzheimer) e sente. O filme faz você sentir. Ele explora os sentimentos, do jeito que um filme bom deve fazer. O inverso é mostrado no final do filme e você se sente aliviado, vingado. O nome do macaco principal é Ceasar, o mesmo nome do macaco revolucionário dos primeiros filmes, e vejam só: o apelido da mãe dele ao chegar ao laboratório é “bright-eyes”! Uma das conotações aos filmes antigos que valem a pena ressaltar. É lógico que existem muitas outras ainda, mas vale a pena perceber por si só. Chega… Veja os filmes!

Mais um sucesso pros chatos do Facebook

Posted in Facebook, Humor, Internet by Igor on 20/03/2012

Aqui pra vocês. Os cegos clicam pra ampliar.

E nenhuma foda foi dada naquela madrugada

Posted in Facebook, Humor, Internet, Twitter by Igor on 19/03/2012

Graças aos amáveis amigos da página Os Melhores do Twitter. Os cegos clicarão pra ampliar. Btw, deixei os posts mais ~engraçados~ com o fundo diferente para mais rápida apreciação dos leitores apressados.

Não crê? Olha aqui: https://www.facebook.com/MelhoresDoTwitter/posts/265763076839636*

And not even a single fuck was given that day…

* = Atualização: Apagaram o tópico. Podem crer que eu acordei hoje e fui ver o que tinham escrito depois disso tudo e não achei nada… Triste. Mas mesmo assim, né.

Eu, Deus e a religião…

Posted in Mictório Unissex, Religião, Texto by Igor on 11/02/2012

Designemos.

Ateu: aquele que não crê em divindades.

Deísta não-religioso: não merece respeito por parte de líderes religiosos, são condenados pelo livro cristão e são, possivelmente, os mais psicologicamente aceitáveis dentre os deístas. Também chamados de “agnósticos”.

Deísta religioso judaico-cristão: Maioria. Freqüenta a igreja e profere trechos do livro cristão a todo momento sem nunca ter o lido por inteiro. Geralmente seguidor de cultura religiosa familiar. Geralmente, não tem IDÉIA do nome do deus que cultua.

Deísta judaico-cristão assíduo: Leu a Bíblia, concorda com tudo que há nela, vai a missa todos os dias, paga o dízimo, reza todos os dias, segue todos os princípios cristãos e abomina tudo que não seja de origem bíblica. EXTINTO.

Primeiro, sobre mim, ateu:

Porque não creio?

Desde pequeno foi tantado me empurrar goela abaixo as idéias de Papai Noel e Deus. Logo, fui aceito como um não crente na lenda do Papai Noel. “Nossa, esse menino é inteligente desde pequeno.” diziam os pais, tios e parentes. Quando crescí, do mesmo modo que não encontrei motivo algum para crer em Papai Noel aos meus 5 anos, não encontrei motivo pra crer em qualquer deus. Abominável pra minha família, deísta religiosa judaico-cristã.

Ateus

A nossa ideologia não inclui profanar deuses alheios, e muito menos minimizar a idéia de qualquer grupo, mas, com o passar dos anos e o começo da realização do sistema da sociedade atual, somos quase obrigados a não aceitar instituições que deteriorizem de qualquer modo uma certa sociedade usando como argumento as vontades de um deus que só existe mesmo no papel. Ou talvez também num tomate podre ou no cu de um cachorro.

Não há como negar que existem muitos ateus vidrados na expressão de seu pensamento em forma de ataque às religiões mais próximas que, conseqüentemente os incomoda mais, como o catolicismo e o protestantismo. Prova disso é a página (não sei se oficial – espero que não) da ATEA, Associação de Brasileiros Ateus e Agnósticos, no Facebook, que não só brinca com a fé dos outros, que muitas vezes é base vital, como também enfatiza fatos históricos que nada acrescentam a seus argumentos nos dias de hoje, como por exemplo dizer que o Papa da época do Hitler era ciente de toda a calamidade.

Somos apenas pessoas que seguem a legislação de um país constitucionalmente laico, a moral passada pela família, a ética imposta pela consciência criada pelo convívio geral, e que não é do Capeta só porque não crê no que todo mundo crê. Até porque, o Capeta seria também parte da crença na mitologia cristã.

Deístas não-religiosos (agnósticos)

É, compreensivelmente, a parte dos deístas que mais se aproxima das ideologias do ateísmo. Geralmente é aquela pessoa que diz acreditar numa entidade superior que governa o universo e que tudo que existe no universo a ser descoberto ou já descoberto foi criação desse ser. Argumentam que, talves os deuses de todas as várias religiões seja o mesmo deus, O Deus.

Geralmente, grande parte das pessoas desse grupo são ateus ainda inseguros sobre qual direção seguir, se o da submissão à insegurança e à promessa da vida eterna ou se o da liberdade sem peso na consciência. Existem até padres da igreja católica que seguem essas ideologias, por incrível que pareca. Mas as barbaridades da Bíblia, quando lidas da forma correta, são realmente um passo gigantesco em direção ao ateísmo.

Deístas religiosos judaico-cristãos

É aí que se enquadram quase todas as pessoas que estão na missa todo o domingo. Provavelmente não sabem que o deus a que cultuam se chama Jeová, provavelmente nunca leram a Bíblia – pelo menos não as partes que não convém-, e não praticam nada do que é imposto como dever no livro.

É o tipo de gente que se diz completamente fiel a Deus e seguidor da Bíblia mas tem o cabelo curto – quando mulher -, não sai na rua com véu à cabeça e acha um absurdo frases como “a mulher deve se curvar diante ao homem.” Não, não! Não me julguem. Acho isso um extremismo gigantesco e todos sabemos que para tal atitude vinda do homem, o valor penal a se pagar é forte na nossa legislação. Isso está escrito na Bíblia, meus caros. Pra não dizerem que estou mentindo, veja aí na sua super hiper master blaster nova edição 2012, tá lá!

“Mulheres, sede submissas aos vossos maridos, como convém no Senhor.”
– Colossenses 3:18

“As mulheres tem de ser submissas aos vossos maridos.”
– Pedro 3:1

“O homem não foi criado para a mulher, mas a mulher para o homem.”
– Coríntios 11:9

“As mulheres devem ficar caladas nas assembléias de todas as igrejas dos santos, pois devem estar submissas, como diz a lei.”
– Coríntios 14:34

“Que a mulher aprenda em silêncio, com total submissão. A mulher não poderá ensinar nem dominar o homem.”
– Timóteo 2:11-12

“O marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja. Do mesmo modo que a igreja é submissa a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo aos maridos.”
– Efésios 5:22-24

E tem mais. Mas prossigamos.

Deístas judaico-cristãos assíduos

Os deístas judaico-cristãos assíduos é um grupo de pessoas que está extinto. Para uma mulher ser fiel deísta judaico-cristã assídua, seria preciso que os cabelos e qualquer pelo do corpo nunca fosse cortado ou aparado, seria preciso que houvesse submissão total ao homem e, conseqüentemente à igreja, e não poderia sair na rua se quer de calça ou camiseta. O homem fiel ao deísmo judaico-cristão teria que, para seguir as leis da Bíblia, infringir muitas leis, como por exemplo: apoiar e usufruir de trabalho escravo, espancar a mulher constantemente, nunca deixar o cabelo crescer a ponto de cobrir as orelhas e matar os próprios filhos – e vários outros absurdos.

É complicado pensar numa sociedade onde haveria apenas esse tipo de deísta. Seria uma sociedade que seguiria regras tão absurdas que não eram seguidas nem na época de Jesus. Seria preciso não haver polícia, ou governo, ou legislação/constituição. Seria calamidoso. Ironicamente, o Jesus da maioria das igrejas atuais é um pecador, por causa dos cabelos grandes.

Depois de deixar claro todos os tipos que conheco de deísta, posso me ir com muito sossego, já que, da próxima vez que alguém vier me perguntar porque sou ateu, posso mandar o link deste post. Lembre-se, antes de comentar, o que eu disse sobre os ateus. Não estamos aqui para diminuir e nem fazê-lo mudar de idéia. Só queremos mostrar nossas opinião, e assim fazemos em nossas casas, sem pedir dízimo de ninguém, via internet, que significa que você só está lendo porque quer. Então…

Boas noites aí pra vocês, e feliz Dia da Descoberta da Cura do Câncer! :)

A mulher de blusa laranja de BH

Posted in Arte, Crônicas, Humor, Internet by Igor on 11/01/2012

Uma das melhores histórias já captadas pelas lentes apuradíssimas e não manipuladoras do Google Street View. São mostrados vários perfís da sociedade brasileira nesta sessão de fatos inesperados: a falta de respeito da classe média e a falta de equilíbrio de quem usa blusa laranja. Acompanhem com atenção.

A história: Uma mulher, numa tarde ensolarada de Belo Horizonte, Minas Gerais, decidiu sair para uma caminhada usando uma linda mas não tão excentrica blusa da cor maravilhosa laranja (cor de 2012!). Ela estava virando a esquina quando aconteceu o inesperado: um gigante tropeço lhe apossou o corpo por causa das não por falta de avisar mas sempre bom falar das calçadas do Brasil! Ela caiu! Caiu e com a cara no chão! Ainda bem que o Gogle deixa as cara embaçada né pq imagine o sangue! Melhor nem emaginar!! mas enfim.! Ela caiu as pessoas que estavam por perto simplesmente IGNORARAM-NA e continuaram suas vidas provavelmente rindo muito e não ajudaram a senhorinha que depois de tanta humilhação levantou-se, e sentou-se na sarjeta como um mendingo sem casa sem comida sem roupa no frio mas sempre com classe e sua blusa cor de laranjado. Obg Golge sters viw por poroprorcionar essa mais estoria das ruas de BH!

Bjs.

Pessoas diferentes vêem cores diferentemente?

Posted in Arte, Vídeos by Igor on 29/11/2011

O twitter é seu azul, mas meu verde.

O Sistema

Posted in Política, Texto by Igor on 20/10/2011

O sistema de ingresso a universidades no Brasil tem melhorado, mas ainda hoje tem falhas inaceitáveis para o mundo idealizado à arte e criatividade. Quero deixar claro que vou especificar o Brasil nesse texto por ter conhecimento profundo no sistema referente apenas a esse país, não confundam com bairrismo ou preconceito.

É preciso reavaliar as condições das avaliações que permitem o ingresso de estudantes em universidades públicas. É mesmo necessário que sejam estudados a fundo assuntos não condizentes à universidade desejada? No meu ponto de vista, não, considerando que um mundo cujas pessoas devem se interessar obrigatoriamente por coisas que não as interessa para que possam se destacar na área do verdadeiro interesse é um mundo de sistemas hipócritas e preconceituosos. Sistemas nos quais somos obrigados a viver se queremos seguir padrões erroneamente atribuídos como essenciais.

Vou dar um exemplo que se encaixa em muitos desses que prestam humanas mas são massacrados pelas exatas. Um estudante com aptidões evidentes em construção de texto, ou em design de produtos, nunca ganhará o salário de um formado em Jornalismo ou Publicidade, por mais que seus talentos sejam vezes melhores que os do formado. O mesmo sistema que te obriga a saber Álgebra, te limita quando você quer confiança em seu talento.

Em tempos de internet, tutoriais e self learning, não podemos dizer que uma pessoa sem diploma tem menos talento que uma com. É preconceituoso e hipócrita. É preciso avaliar o necessário para o sucesso em determinada área. No vestibular de hoje, ou você sabe tudo, ou você estuda em escola particular. E aí, onde ficam os pobres? Nos caixas de super-mercado, ganhando 500 reais por mês, com 3 filhos pra criar. Pobres, que por antes terem estudado em escola pública, não tiveram como atingir o excepcional. É preciso cortar o mal pela raíz. Ou no caso: curar as deficiências das cicatrizes de muitos anos.

Os melhores créditos de abertura da história do cinema

Posted in Arte, Cinema, Design, Humor, Internet, Música, Religião, Vídeos by Igor on 14/10/2011

É o grupinho britânico vangloriado e financiado pelo gênio George Harrison que fez, na minha opinião, a melhor sequência de créditos de abertura da história do cinema. Sim, Monty Python conseguiu mais uma vez não ser apenas genial em um aspecto, mas em vários… A música é genial, os gráficos são geniais, as piadas subliminares são geniais, o filme genial! A abertura não vai estragar o filme, que aliás, você DEVE assistir o quanto antes. Life Of Brian rules!

Lindo, lindo! Em HD 720p então, só deus sabe!

Monty Python’s Life Of Brian no Rotten Tomatoes

Meu álbum de edits – Uno

Posted in Arte, Internet, Música, Mictório Unissex by Igor on 24/09/2011

Desde 2008 tenho trabalhado em algumas músicas para fazer do que era bom, melhor. Comecei com remixes engraçadinhos, como colocar batidas de funk na genial Ameno, fazer uma edição funk de Black Eyed Peas e etc. Mas com o tempo fui desenvolvendo skills e agora venho a vocês mostrar o que rolou nesses 3 anos. As tracks do álbum não estão em ordem de criação, mas você pode deduzir que as melhores foram as últimas que eu criei e as piores, as primeiras. Vocês podem baixar o arquivo .rar do álbum no link abaixo, e espero que gostem!

A tracklist:

1. Lady GaGa – Paparazzi (Igor Moretto’s edit)
2. Michael Jackson – Just Beat It (Igor Moretto’s Beat It edit)
3. Survivor – Eye of the Tiger (Igor Moretto’s edit)
4. Black Eyed Peas – I Gotta Feeling (Igor Moretto’s edit)
5. Pearl Jam – Alive (Igor Moretto’s edit)
6. Red Hot Chili Peppers – Dani California (Igor Moretto’s edit)
7. Ke$ha – Tik Tok (Igor Moretto’s edit)
8. The Kooks & Britney Spears – Stormy Weather vs. If You Seek Amy (Igor Moretto’s mashup edit)
9. The Gossip – Standing in the Way of Control (Igor Moretto’s edit)
10. Black Eyed Peas – I Gotta Feeling (Igor Moretto’s funk edit)
11. Andrew Bird – Scythian Empire (Igor Moretto’s techno remix)
12. Michael Jackson – The Smooth Criminal (Igor Moretto’s Smooth Criminal edit)
13. Avenged Sevenfold – Almost Easy (Igor Moretto’s edit)

E é isso! Mas antes de terminar o post, peço que escutem as duas tracks que eu coloquei no Soundcloud que vão estar no próximo álbum: Long Train Running [Igor Moretto’s edit] e Afterlife [Igor Moretto’s edit]. Interessante é que a Almost Easy do Uno jé tem 500 views e 12 favoritaram. Massa! Baixem também um álbinho com algumas edições novas, incluindo uma nova demo da Ameno e um remix da música do Epic Sax Guy aqui. Valeu pelo apoio, pessoal!

Como decorar todos os elementos químicos

Posted in Guia Prático, Internet, Música by Igor on 24/09/2011

Quem tá tentando passar no vestibular provavelmente já sabe que é muito mais fácil decorar os gases nobres, os metais e os não metais numa tabela periódica. Mas como não custa dar mais uma dica pra decorar aquela coisa maluca, venho mostrar-lhes o Elements Song! Clique na imagem.

Os elementos são todos em inglês, mas porra, seu reclamão! Os nomes em português são beeeeem semelhantes, vai!

O copyright no YouTube e blá blá blá

Posted in Arte, Com desabafo, Internet, Música, Tecnologia, Vídeos by Igor on 21/09/2011

O YouTube é o site de streaming online de vídeo mais visitado e utilizado na internet. O site foi criado em 2005 por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim com a proposta de compartilhamento de vídeo, que ultimamente vem sendo mudada para compartilhamento de sua arte – e só sua arte.

Foi lançado há algum tempo uma ferramenta que identifica a ID do vídeo e áudio do arquivo e verifica se o mesmo tem registro de copyright por parte de alguma empresa associada ao sistema. Se você posta um vídeo com 2 segundos de uma música com copyright, seu vídeo é bloqueado ou será adicionado anúncios a ele, e, se algum dia, a empresa responsável pela produção do material resolver te foder a vida, pode te acusar de infringir direitos e cancelar sua conta.

É difícil dizer se tal atitude por parte das companhias e do YouTube é correta, já que é completamente compreensível que produtos registrados não devam ser usados sem supervisão ou aprovação do proprietário dos direitos. Mas e o artista? Se tudo fosse como é no YouTube, estaríamos ferrados.

Um vídeo considerado legítimo pelas normas do YouTube seria um vídeo com imagens suas, áudio seu, música sua, e tudo seu! Não existe compartilhamento de informação por criação ou arte. É tudo burocracia! Se as normas tivessem sido seguidas desde o começo, posso dizer que pelo menos metado dos vídeos viralizados no YouTube não seriam o que são. O que seria do Evolution of Dance sem as músicas? O que seria do gordinho Numa Numa sem a música? O que seria do garoto pianista e prodígio que cantou Lady Gaga no show de talentos e ficou famoso? Nada.

O YouTube deveria criar um formulário na inscrição que seria avaliado posteriormente para aí sim a conta ser liberada. Um formulário com informação do que era preciso para que os vídeos não fossem bloqueados. Perguntas como “pretende usar material de terceiros?” e “contate o dono desse material” faria tudo mais fácil. Sejam sensatos.

Não importa se o trecho do material usado é menor que 30 segundos, ou que você tenha comprado o CD. O material NÃO deve ser disponibilizado se não for completamente criado por você.” Disse o YouTube… Concordo que não se deve colocar o material completo – como episódios inteiros de seriados ou novelas etc.-, mas não é por isso que devemos sofrer por usar material não produzido por nós. Acredito que, hoje em dia, pouco tem produção integral pertencente a apenas uma pessoa. Pouco.

YouTube não ficou famoso por vídeos caseiros. Hoje a maioria consiste em vídeos caseiros, mas no começo, YouTube era uma alternativa de streaming de qualquer tipo de material. É preciso fazer com que empresas maiores entendam que a disponibilização de parte do conteúdo original é também uma forma de distribuição e divulgação. E não pagariam nada por isso! O sistema é kinda burro.

Se não podemos ter televisão na internet, então porque a televisão pode ter a internet?

Americanos tinham sotaque britânico em 1776?

Posted in Internet, Texto by Igor on 31/08/2011

Talvez se aplica ao sotaque português/brasileiro.

I’d always assumed that Americans used to have accents similar to today’s British accents, and that American accents diverged after the Revolutionary War, while British accents remained more or less the same. Americans in 1776 did have British accents in that American accents and British accents hadn’t yet diverged. That’s not too surprising.

What’s surprising, though, is that those accents were much closer to today’s American accents than to today’s British accents. While both have changed over time, it’s actually British accents that have changed much more drastically since then.

Confira o artigo completo:

Did Americans in 1776 have british accents?

Ilustrações e entrevista de Tiago Hoisel

Posted in Arte, Design, Entrevista, Humor, Internet by Igor on 29/08/2011

Tiago Hoisel, que nasceu em Salvador e foi criado em Ilhéus deu uma entrevista ao site pxleyes.com na qual falou um pouco sobre suas ilustrações e sua carreira de pintor e ilustrador digital. Você já deve ter visto o trabalho dele por aí em algum desses e-mails de família e na revista Mundo Estranho, da Abril… Veja aqui no post um pedaço da entrevista e algumas ilustrações e, como de praxe, o link pro artigo original lá no final do post.

pxleyes.com: Suas ilustrações são tão engraçadas e expressivas! De onde você tira inspiração?

Tiago Hoisel: Eu sempre gostei de humor e realismo, então quando comecei a trabalhar tentei trazer essas duas coisas pro meu trabalho. É difícil dizer de onde vem a inspiração. Algumas ilustrações vêm de ideias que tenho durante o dia, algumas vêm de situações por que vivi e outras vêm de sonhos que acabo ilustrando.

pxleyes.com: Qual softweare você usa e qual ferramente você não conseguiria viver sem, desse softweare?

Tiago Hoisel: Ultimamente 100% do meu trabalho é produzido no Photoshop CS3, com um tablet Intuos III. No Photoshop, o que eu mais uso são os pincéis. E claro, uso os outros recursos que possibilitem uma finalização melhor no trabalho.

pxleyes.com: A gente ficou sabendo que você está engajado num novo projeto: Techno Image. O que isso significa pra você?

Tiago Hoisel: Quando comecei a ilustrar na Techno Image rapidamente a demanda aumentou e a necessidade de contratar novas pessoas surgiu. Eu já conhecia o trabalho que Pedro e Lucas, estavam fazendo, e quando a necessidade chegou nós os contatamos e descobrimos que eles também conheciam meu trabalho e que tinham interesse. Os dois deixaram pra trás estúdios muito bons para se juntar à Techno Image, que era um estúdio pequeno, com grande potencial.

Hoje em dia a gente não tem uma divisão no estúdio. Basicamente, eu e Lucas trabalhamos na ilustração e pintura, e pedro faz o 3d. Muitas vezes a gente trabalha juntos em uma pequena parte também. Na maioria das vezes a gente entrega o conceito para que Pedro o desenvolva em 3d. Outras vezes Pedro nos ajuda na pós-produção no Photoshop. Geralmente é um trabalho bem colaborativo.

Entrevista completa e mais 32 ilustrações de Tiago Hoisel

Aquecimento Global

Posted in Arte, Humor, Internet by Igor on 21/08/2011

15 melhores personagens de séries, na minha humilde opinião

Posted in Arte, Listas, TV by Igor on 21/08/2011

1. Seu Madruga (Don Ramón), Chaves (El Chavo del Ocho)

Um dos melhores personagens da história da televisão. O homem injustiçado pela vizinha, amoroso com a filha e injusto com Chaves foi criado por dois gênios: Roberto Gomés Bolaños e Ramón Valdez, que o interpretava de forma inesquecível e insubstituível. Merece o primeiro lugar porque formou meu caráter e fez parte da minha vida toda.

2. Homer Simpson, Os Simpsons

Um dos personagens mais conhecidos e amados do mundo. Homer Simpson ta aí nessa empreitada de pai irresponsável que se esforça há mais de 20 anos. Me lembro de assistir Simpsons quando era criança no SBT, bem tarde. Há um tempo a Globo decidiu que Simpsons era um desenho pra crianças e o colocou como atração da TV Globinho. Globo, u’re doing it wroooooooong.

3. Michael Kyle, Eu, a Patroa e as Crianças (My Wife and Kids)

Esse cara, interpretado por Damon Wayans, é o melhor pai que eu conheço. Com certeza plantou uma semente no meu cérebro que vai fazer com que eu coloque meus filhinhos na linha. Hehe. A série foi cancelada na quinta temporada, uma pena, já que a história era muito boa.

4. Barney Stinson, How I Met Your Mother

É interpretado por Neil Patrick Harris e isso já diz tudo. Barney é o único personagem solteiro na maioria das vezes no seriado, e, pelas pérolas de conquista, se tornou o melhor personagem dessa série e quiçá de todas as sitcoms atuais americanas.

5. John Locke, Lost

John Locke passou a maior parte de sua vida sofrendo. Foi traído pelo pai, que criou uma relação amorosa só pra poder roubar um rim do filho, depois foi jogado pela janela de um prédio e ficou paraplégico. Quando foi pra ilha, encontrou o lugar que precisava para viver pro resto da sua vida. Viveu como queria por um tempo e acabou morrendo fora dela, tendo, depois, o seu próprio corpo roubado pelo homem de preto, inimigo de Jacob. Uma história magnífica, que foi criada e desenvolvida de maneira esplendorosa por J. J. Abrams, Damon Lindelof, Carlton Cuse e Terry O’Quinn.

6. Walter White, Breaking Bad

Um homem com câncer que decide que precisa deixar dinheiro para sua família já que vai morrer logo. Pede ajuda a um ex-aluno e os dois começam a trabalhar junto na produção de cristais metanfetamina, uma droga química que faz bastante sucesso lá na fronteira dos E.U.A com o México, onde vive. Também é mais um pai de família que se tornou irresponsável por querer ser responsável demais.

7. Cassie Ainsworth, Skins

Cassie foi o retrato de muitos adolescentes, inclusive eu. Começou como uma menina inocente, engraçada, cheia de manias e se tornou uma pessoa experiente, com a cabeça feita e muita paranóia. É difícil assistir Skins e não se identificar com Cassie. É tudo tão difícil pra ela que acaba fazendo a gente gostar cada vez mais.

8. Tara Gregson, United States of Tara

Tara tem uma doença que se chama TDI (Transtorno Dissociativo de Identidade), que faz com que ela apague e no lugar de sua personalidade original, apareçam personalidades alternativas, ligadas a fatos distintos de sua vida. No caso dela, os alters iniciais são 3: T, Buck e Alice. Ao passar do tempo, Tara vai perdendo alters e adquirindo outros. Vida complicada pois tem que aprender a lidar com a relação de sua família com cada alter. Magnificamente interpretada por Toni Collette, que já fez O Sexto Sentido e Little Miss Sunshine.

9. Benjamin Linus, Lost

O traíra que mais traiu na história das séries de televisão e acabou no lado bom. Teve uma dura vida ao lado de seu pai e cresceu com fascínio pela ilha, fugindo depois e se tornando líder d’Os Outros, ou dos “hostís”, como a Dharma os chamava. Interpretado por Michael Emerson.

10. Anna, V

A líder dos visitantes do seriado “V” é interpretada por uma brasileira – coisa que pouca gente sabe. Morena Bacarin interpreta essa alienígena que não tem muito de sua vida revelado no seriado, a Anna. O máximo que se sabe é que ela é filha de Diana, que já veio pra terra em alguma outra missão, e que foi presa pela própria filha numa espécie de prisão na espaçonave do grupo. A interpretação é genial. Não dá muito pra explicar porque o personagem é um dos melhores, basta assistir.

11. Sheldon Cooper, The Big Band Theory

Dono das piores piadas sobre física na história dos seriados nerds. Sheldon é privativo, tem vergonha de tudo e todos, se acha – e é! – o mais inteligente de seus amigos, e completamente inseguro. Desde o começo da série o ator Jim Parsons foi aclamado por sua interpretação, e merece. O personagem está a cada episódio melhor e mais engraçado.

12. Hugo Reyes (Hurley), Lost

Um dos nossos. Nerd assíduo, com as melhores citações de Lost, e, talvez, personagem mais importante do seriado. Ele, junto de Ben e Walt, ficou na ilha depois que os outros foram embora cuidando de toda a anormalidade que ronda aquele lugar. Interpretado pelo quase Hurley Jorge Garcia.

13. Phoebe Buffey, Friends

Com certeza um dos destaques de Friends. Na minha opinião, o melhor personagem do seriado e com a história e piadas mais interessantes. Cresceu na rua, sem saber de sua vida real, tinha uma irmã gêmea, e todo tipo de coisa estranha que se pode acontecer numa vida. Interpretada pela atriz mais versátil que eu já vi em seriados: Lisa Kudrow.

14. Joey Tribbiani, Friends

O segundo personagem mais engraçado de Friends. Como de prache nos sitcoms de hoje em dia, é engraçado por ser burro. Passa o seriado todo procurando emprego como ator e por isso, é sempre alvo de piadas dos amigos. É interpretado por Matt LeBlanc, que até tentou continuar com o personagem num spin-off chamado Joey mas não deu certo.

15. Karen Walker, Will & Grace

Rica, nem um pouco humilde e também nem um pouco simpática. Trabalha para Grace numa empresa de design de interiores como secretária, mas na verdade não faz nada lá além de criticar as roupas da chefe. É a melhor amiga do melhor amigo de Will, Jack, que não gosta de Grace, que por sua vez adora Karen, que não gosta de Will.

Dear Photograph

Posted in Arte by Igor on 09/08/2011

Muitas vezes me maravilhei ao ver fotos antigas de lugares que vou freqüentemente. É incrível ver como as coisas mudam com o tempo e a gente nem percebe. É como quando alguém deixa o cabelo crescer: você não estranha o percurso da mudança, mas quando vê fotos antigas a mudança é facilmente perceptível. Todo esse conceito foi pensado e colocado em prática pelo criador do magnífico Tumblr Dear Photograph: take a picture of a picture from the past in the present. Veja algumas fotos que demonstram o que é:

Dear Photograph

25 de Junho

Posted in Arte, Música, Texto by Igor on 25/06/2011

No dia 25 de Junho de 2009 uma lenda morria. Michael Joseph Jackson, um dos artistas mais bem colocados em hankings de música deixava pra trás 240 milhões de álbuns vendidos, três filhos, uma turnê ensaiada e muitos fãs carentes ao redor do mundo. A imprensa colocou sua morte como sendo inexplicável, e muitos fãs despejaram seus sentimentos de ódio sob o médico responsável pelo astro durantes seus últimos meses. Mas será que alguém tem culpa nisso? Já se passaram 2 anos e, aqui estamos, fazendo os mesmos questionamentos dramáticos que a mídia implantou na cabeça dos fãs desesperados. São vários os pontos a serem estudados.

Enquanto Michael fazia parte dos Jackson 5, um grupo criado pelo seu pai e divulgado mais tarde pela gravadora de artistas negros Motown, ele sempre demonstrou uma ótima saúde e habilidade nos passos. Ao passar dos anos, entrando assim em suas turnês solo, desde Bad, na qual ele tinha 30 anos, até os ensaios da que seria sua última, This Is It, com 50 anos, Michael foi demonstrando que suas habilidades para dança foram ficando cada vez menos práticas e mais profissionais.

A última turnê que Michael fez foi a HIStory Tour, em 1997. Nela, seus passos de dança e sua voz pareciam ser os mesmos de sempre, com coreografias não tão complexas, mas mesmo assim, artísticas.

Assim, longos 12 anos se passaram, e, como todo fã bem sabe, Michael nunca foi de fazer exercícios ou coisa do tipo. Ele era um artista que, quando a hora de fazer turnê chegava, logo, pronto ele tratava de ficar, através de ensaios e coisas do tipo. Um senhor, de 50 anos, tentando atingir o que foi seu mérito há mais de 20, com certeza ficava com dores nos músculos e etc; o que fazia com que tomar remédios para dormir fosse uma coisa indispensável. Qualquer pessoa em dieta rigorosa e mórbida, quando começados exercícios bruscos como as danças obrigavam, sente dores e, como conseqüência tão pouco psicológica quanto física, encontra dificuldades ao dormir ou descansar.

Quem matou Michael Jackson fomos nós. Ele sabia que não conseguia mais dançar do jeito que dançava, mas ao mesmo tempo, sabia que decepcionaria seus fãs se não apresentasse algo parecido com o que costumava apresentar. As dores eram causadas pela extrema tentativa e insistência para com a dança perfeita, causando a dependência no uso de remédios como o Propofol, que mata as dores e o deixava dormir. Nós matamos Michael, e se isso não lhe cabe à cabeça, continue dizendo que foi o médico, ou qualquer coisa assim. Mas você sabe a verdade.

Nei Pasomo – Onde estamos?

Posted in Arte, Nei Pasomo, Quadrinhos by Igor on 27/05/2011