Mictório Unissex

Sobre o Brasil em junho de 2013

Posted in Facebook, Internet, Política, Texto, TV, Twitter, Vídeos by Igor on 22/06/2013

Resolvi fazer uma compilação de vários posts que fiz durante todos esses protestos que você (com certeza) está ouvindo falar. Primeiro, deixo claro que minha opinião mudou durante todo o processo. Muitas vezes. Qualquer incoerência nas minhas opiniões podem ser explicadas por isso. Vou datar os trechos para que vocês possam entender o desenvolvimento da minha argumentação.

13 de junho

Matérias como a do Bom Dia São Paulo de ontem (não achei link) me dão nojo. Disseram o seguinte: “de um lado, vandalismo e gritaria. De outro, a polícia tentando conter os manifestantes. E no meio, a população assustada.”

Eu só queria entender, apesar, é claro, de entender muito bem, o porquê da mídia insistir na ideia de que manifestantes não fazem parte da população. Como se fossem um bando de alienígenas que simplesmente desceram na Avenida Paulista e começaram a gritar e a destruir coisas. Por algum acaso, não são. Eles são, também, a população assustada.

O que mais me impressionou, ignorando a óbvia negligência que fizeram quanto à população que está de acordo com o protesto, foram os takes de cidadãos presos no transito dizendo que “não é possível que depois de um dia cansativo de trabalho ainda sou obrigado a ficar parado na rua por causa de badernista que não tem o que fazer”. Esses são tratados como as vítimas, enquanto os ~vagabundos baderneiros~ são tratados como os vilões.

Eu fico cada dia mais feliz em ver gente na rua. Foda-se se é por 20 centavos ou por 20 milhões. E que quebrem tudo mesmo! Quem paga tem o direito de quebrar o que for. E se os impostos não forem o suficiente pra pagar o concerto de um vidro de uma estação de metrô, eu já não sei mais até onde vai a corrupção.

Um beijo na buceta de cada uma de vocês.

15 de junho

Pra Rachel Sheherazade, a isenção do pagamento do transporte por pessoas debilitadas, estudantes, idosos e etc., são “prejuízo”. Esse é o pensamento da reaça, dos conservadores, da militância direitista. É o pensamento de quem acha que vinagre é arma.

SBT, não sabia que vocês contratavam equinos para apresentar jornal.

16 de junho

Pelo jeito o reporter da CBN passou por tudo o que a imprensa e manifestantes tão passando com a PM, dessa vez no RJ durante o jogo de hoje. Ouçam aí e desconsiderem o título “sensacionalista”…

Engraçado é o coronel (?) da PM de São Paulo dizendo que os manifestantes não deveriam usar máscaras. Cara, você tá com armadura, cassetete, capacete, bomba de efeito moral, gás lacrimogêneo, spray de pimenta, cachorro, helicóptero, cavalaria, e a porra da tropa de choque, e o manifestante não pode usar máscara? Porque não pede pra eles se darem tiros na cabeça? Se for pra obedecer a PM, isso seria muito mais eficaz.

17 de junho

“O povo que está na porta se refere aos jovens da periferia, que são os que mais sofrem com a polícia de Geraldo Alckmin. Eles não vão sair daí. Não há como contê-los e nem o que fazer. São jovens que perderam parentes na mão de policias e tem muita raiva do governador”, disse Matheus Preis, que faz parte do MPL.

18 de junho

Não sei contar quantas vezes eu pensei que queria ver essa imagem. Eu olho pra ela e me sinto lisonjeado. Aquele sentimento que existia quando eu era pequeno, de que o Brasil é uma merda, simplesmente desapareceu. A corrupção ainda existe, os safados ainda estão no poder, ainda tem gente passando fome, a segurança não chega nem perto de estar perfeita, mas o povo está aí. O Brasil finalmente tem rosto, tenha esse rosto um sorriso ou uma marca de bala de borracha. O Brasil, por um momento – e surpreendentemente nesse (!!!) – deixou de ser o país do futebol. A cobertura da copa das confederações no jornal não tem nem metade da relevância que William Bonner esperava. Estamos aqui. A única tristeza que me resta é saber que eu não pude estar lá. Mas estou aqui, olhando tudo. Feliz. Pela primeira vez, feliz pelo meu país.

Imagem

Não sei porque, mas eu tenho a impressão de que a mídia está apoiando as manifestações por um motivo de alienação maior. Eu acho que a mídia apoia a manifestação pra poder dizer “olha que bonita a manifestação sem vandalismo!” Mas o vandalismo muda! Eu tenho medo de dizer que sou a favor do vandalismo, vendo a grande quantidade de pessoas que agora abaixaram os escudos contra a mídia. Elas estão pensando que a mídia agora está do lado delas, completamente. Mas não! Ela está perpetuando a ideia do pacifismo. O pacifismo muda, dependendo das dimensões, mas o vandalismo é parte de uma revolução… O vandalismo é simbólico.

Sobre esse assunto, leiam o texto do Marco Gomes aqui.

19 de junho

Não deixem que o discurso dos coxinhas desanime vocês! O protesto é ESPONTÂNEO, não tem líderes e não tem propósito além do apoio aos protestos nas capitais. Somos o Brasil, e o Brasil é grande. Se cada um cantar a canção que lhe agrada, todos vão ter suas vozes ouvidas. Não queremos ser autoritários quando dizemos que não queremos bandeiras partidárias, apenas queremos. E alguns acham isso ofensivo demais pra lidar. Faça o que quiser, hoje é dia de Lençóis ir pra rua!

21 de junho

Já ouviram falar no “1984”, de George Orwell? Pois é, ainda não chegamos lá, mas tá quase. O Ministério da Verdade ainda não existe, mas a mídia muda de ideia como se os cidadãos burros não lembrassem da opinião conservadora que ela demonstrou nos primeiros dias de manifestações em São Paulo. Um trecho do livro:

“Em 1984, a Oceânia estava em guerra com a Eurásia e era aliada da Lestasia. Não mais que quatro anos a Oceânia estava em guerra com a Lestásia e em aliança com a Eurásia. O partido dizia que a Oceânia jamais fora aliada da Eurásia.”

“Guerra é Paz, Liberdade é Escravidão, Ignorância é Força.”

Pode ser que alguém não esteja entendendo sobre a analogia feita com a Bastilha. Pois bem, eu fui pesquisar e venho aqui dizer pra aqueles que não levavam as aulas de História a sério na escola. Prestem atenção.

Inicialmente serviu apenas como mero portal de entrada para o bairro de Saint-Antoine, mas de 1370 a 1383 o portal foi ampliado e reformado para se transformar numa fortaleza. Após a Guerra dos Cem Anos, começou a ser utilizada pela realeza francesa como prisão estadual. Por volta do século XVIII, serviu como lugar de lazer e depósito de armas do exército, mas o térreo ainda funcionava como uma prisão comum. Registra-se a maior incidência de doenças como pneumonias, devido à temperatura ambiente.

Em 14 de julho de 1789 um jornalista, Camille Desmoulins, até então desconhecido, arengou em frente ao Palais Royal e pelas ruas dizendo que as tropas reais estavam prestes a desencadear uma repressão sangrenta sobre o povo de Paris. Todos deviam socorrer-se das armas para defender-se. Correu o boato de que a pólvora porém se encontrava estocada num outro lugar, na fortaleza da Bastilha. Marcharam então para lá.

O marquês de Launay, o governador da Bastilha, ainda tentou negociar. Os guardas, no entanto, descontrolaram-se, disparando na multidão. Indignado, o povo reunido na praça em frente partiu para o assalto e dali para o massacre. O tiroteio durou aproximadamente quatro horas. O número de mortos foi incerto. Calculam que somaram 98 populares e apenas um defensor da Bastilha. Launay teve um fim trágico. Foi decapitado e a sua cabeça espetada na ponta de uma lança desfilou pelas ruas numa celebração macabra. Os presos, soltos, arrastaram-se para fora sob o aplauso comovido da multidão postada nos arredores da fortaleza devassada. Posteriormente a massa incendiou e destruiu a Bastilha, localizada no bairro Santo António, um dos mais populares de Paris.

A Rede Globo não estava lá, mas podemos dizer que as seguintes manchetes estampariam os jornais atuais, caso hoje isso acontecesse:

No primeiro momento:

“Grupo de manifestantes tentam invadir Bastilha, mas é logo dispersado pela polícia.”

Aqui, seriam tratados como apenas um grupinho de baderneiros que querem chamar a atenção. Ninguém deve se importar com eles, logo isso acaba.

No segundo momento:

“Manifestantes atacam a polícia da Bastilha em ato de protesto contra as supostas irregularidades nas ações dos policiais no primeiro ato.”

Alguma coisa está acontecendo, a mídia precisa mostrar também o lado dos manifestantes, que a aumenta e vai tomando espaço no reconhecimento moral da população.

No terceiro momento:

“Launay tenta negociar, mas líderes das manifestações afirmam que invadirão Bastilha.”

A mídia ainda se coloca do lado do Governo, e expressa as mesmas opiniões dele. Todos estão de acordo com todos. Os manifestantes são os únicos que não querem paz.

No quarto momento:

“Apesar do começo pacífico, parte dos manifestantes entra em confronto com a polícia e invade Bastilha.”

A mídia divide a manifestação em grupos. Os grupos, mesmo dentro, se dividem exatamente da maneira que a mídia quer. Os vândalos são criminalizados e os pacíficos são ignorados.

No quinto momento:

“Após confrontos e invasão, vândalos libertam presos e devastam a Bastilha.”

Continua até o limite o apoio ao governo. Os vândalos agora são reconhecidos como tais, e fazem tudo o que querem. A mídia espera a resposta do governo para uma opinião.

No final:

“Launay é morto, Governo promete reajustes e melhor comunicação com população.”

A mídia abaixa os escudos e passa a noticiar imparcialmente os acontecimentos, ignorando o fato de ter mudado de posição diversas vezes no protesto. O Governo cai, e aos olhos de quem assiste, todos estavam certos.

Qualquer semelhança, talvez não seja mera coincidência.

22 de junho

A ideia dos Anonymous de usarem aquela máscara que vocês viram no V de Vingança não tem nada a ver com o filme (além da propaganda). Ela tem a ver com Guy Fawkes, um cara que na conspiração da pólvora foi preso por querer explodir o Parlamento do Reino Unido. A ideia é usar o anonimato para cometer atos que, segundo a legislação vigente, seriam crime. E de que forma melhor você poderia se esconder a não ser atrás da máscara de um cara que não teve tal destreza? Pois é. O vandalismo está por trás dessa máscara também. Você não tá sendo coerente usando essa máscara e falando que os manifestos são lindos, mas ~sem baderna~.

“Me lembro, me lembro, do cinco de novembro;
Do atentado e da pólvora, se deve saber;
E não vejo razão, para que tal traição;
Um dia se venha a esquecer.”

Sobre a máscara:

“It’s an uniform look,
Everybody looks the same,
It’s a very recognizable face.

It’s easy to find,
Despite all the threads,
It has become a brand.”

Imagem

 

Anúncios

Somos livres, só que não

Posted in Artigo crítico, Ateísmo, Cinema, Internet, Política, Religião by Igor on 22/09/2012

O governo fazendo merda em nome de um deus que, segundo eles, é melhor. Pode até ser que esse grupo de religiosos, dimensionalmente seja muito mais prejudicial do que os ocidentais, mas são atitudes como essa que me fazem odiar qualquer religião. Se não é usada para matar, é usada para manipular, e isso é tão grave quanto.

Sei também que há pessoas que seguem religiões e que são pessoas boas, não generalizo. A religião tem atitudes boas, assim como maus, mas o problema é que tudo o que faz mal nas religiões ultrapassa a diferença entre o que faz bem. Não odeio Allah, não odeio Jeová, nem Jesus… Odeio quem os usa, quem diz os representar pra controlar, manipular, matar, bitolar, e promover ignorância.

Ontem mesmo vi uma notícia que dizia que algum lugar tinha aprovado leis contra a burca/talibã. Qual é a lógica de um governo ocidental querer se impor sobre outro grupo porque a sua religião é diferente e usando o argumento do secularismo? Secularismo não é proibir, não é mudar à força. Liberdade é a única palavra que as pessoas parecem não conhecer o verdadeiro significado de verdade.

Como já falei, são as mesmas pessoas lutando por causa de um mesmo aspecto divino dividido em vários dogmas, costumes, culturas. É uma raça de animais que acham que por ter sido agraciada pela consciência na seleção natural tem o direito de passar dos limites da moral e viver sob as leis de uma legislação antiga e ultrapassada.

Acorda, pessoal. Somos uma raça só. Somos todos humanos, somos todos macacos, somos todos um só tipo de animal que se mata por ideais idiotas.

Máfia orquestrada

Posted in Ateísmo, Ciência, Internet, Política, Religião, Texto, Twitter by Igor on 30/08/2012

Fica muito repetitivo falar sobre a Marisa Lobo de novo? Eu sei que fica, mas a mulher tá cada vez mais ~polêmica~! Eu não tenho nada a ver com a vida de ninguém e não quero ditar regras, mas pelo bem do alívio cômico: essa mulher não trabalha? Eu vou dormir e ela tá tweetando, eu acordo e ela tá tweetando… GOSH! Agorinha foi o ápice global da hipocrisia da Marisa Lobo. Percebam, por favor, que eu não estou atacando ninguém, só estou reproduzindo o que ela escreveu e dando minha opinião. Quem ataca é ela.

Ela está dizendo que a “mídia tendenciosa” (seja lá o que isso quer dizer); o CFP, Conselho Federal de Psicologia; os grupos GLBTT, gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais; os ateus; os relativistas (?), e os cristãos sem compromisso estão formando uma máfia orquestrada para mudar o código penal. Certo?

Se eu conheço Marisa Lobo bem o suficiente pra acreditar no que eu acredito, então ela está querendo dizer que vários grupos (de nenhuma correlação, apenas alguns que têm em comum a militância, e outros o poder) estão numa luta contra a imposição de uma outra máfia orquestrada muito mais antiga que essa suposta aí: o conservadorismo cristão.

Percebam: o cristianismo é uma religião. Quem segue, segue. Segue e vai pra instituição deles, a igreja. Protesta na igreja, expõe preconceito na igreja, queima bruxas na igreja, escraviza na igreja, extorque na igreja. O que acontece dentro da instituição de sua religião, e que é praticado pelos seus crentes e seguidores, é problema só seu. Lá você pode fazer o que você quiser e se basear nas leis da sua religião da maneira que quiser. Completamente diferente é querer impor essas regras nas pessoas que estão fora desse perfil. Eu sei que esse discurso pode chegar a ser repetitivo, mas é pra ser. Os problemas estão aí e eu acredito que sem repetição nada é notado.

O deus da sua religião, nos olhos da justiça é só mais uma mitologia. Os seus valores morais, nos olhos da justiça, são só valores morais de uma ideologia distinta do Estado. Ou deveria ser. Se há algum grupo aqui que está querendo impor sua ideologia e que pode ser classificado como máfia orquestrada, esse grupo é o seu, de conservadores cristãos! Então pare de atacar o Conselho Federal de Psicologia, que usa a ciência para ditar métodos. Pare de atacar os GLBTT, que têm todo o direito de expor suas opiniões e quererem igualdade na sociedade bitolada. Pare de atacar os ateus, que só por não crerem na mesma baboseira que você parecem no seu ponto de vista não merecerem o respeito no Estado democrático (e laico!). Pare de ofender os cristãos sem compromisso, pois esses sabem discernir o Estado da religião, ao contrário de você. Pare com esse proselitismo e comece a ler e a fazer seu trabalho de maneira correta. Deixe sua relação com sua família em casa, deixe sua religião na igreja.

Marisa Lobo marisa-lobando novamente

Posted in Artigo crítico, Ateísmo, Ciência, Política, Religião, Texto by Igor on 24/08/2012

A odiada psicóloga Marisa Lobo, já comentada aqui no blog, e que anda por aí passando vergonha em convenções religiosas, entrevistas na TV e no meio profissional da psicologia, atacou novamente! Dessa vez (eu sei, parece propaganda da Sessão da Tarde) ela resolveu comentar sobre o caso do trio que oficializou o casamento no cartório da cidade de Tupã, no interior de São Paulo. Veja os pontos must see que ela comentou e depois eu comento um pouco.

Ao me deparar com essa notícia hoje pela manhã uma mistura de raiva, indignação tocou meu coração, um sentimento de impotência, uma vontade de pedir “Jesus volte logo”. E na mesma hora me veio uma palavra em mente:

Abre a tua boca a favor do mudo, pelo direito de todos os que se acham em desolação. (Provérbios 31.8)

Minha Fé e minha indignação também cresceram minha pergunta então foi: Onde querem chegar esses detentores da Lei? Aonde quer chegar à mídia? Onde querem chegar esses grupos que afrontam a sociedade com valores totalmente distorcidos e aonde quer chegar tão sonhada psicologia que surgiu para aliviar conflitos psíquicos e está gerando muito mais confusões nas mentes da nossa sociedade quando se torna conivente e apoia qualquer tipo de ligação supostamente afetiva para o bem estar do “ser” que, em prol de direitos de satisfação pessoal, sexuais se perde em seus valores gerando conflitos ainda maiores.

Ótimo. Explico em poucas linhas o que ela quer dizer nesse último parágrafo absurdo: Ela está indignada porque a lei está funcionando num país democrático onde ninguém mais ninguém menos que os indivíduos relacionados à causa conseguem ter seus direitos reservados de maneira imparcial. Ela acha que a Globo insinua a poligamia quando coloca nas novelas personagens com mais de uma mulher. Ela acha que os grupos militantes que lutam a favor do direito de todos de terem seus direitos e de expressar o significado de seus direitos são uma afronta à sociedade.

Se eu quisesse ser irônico e sarcástico nesse texto, eu diria que o sentimento de raiva não tocou seu coração, e sim seu cérebro. Eu diria também que é irônico você postar estas palavras bíblicas quando elas se aplicam perfeitamente ao lado dos que se casaram e que estão sofrendo com seus preconceitos e julgamentos. Mas o texto é sério. Ou quase isso. Vamos lá.

Como podemos ser a favor de uma relação supostamente “afetiva”, que em minha opinião de afetivo não tem nada, pois o nome disso é “Orgia”, legalização da “Putaria” – me perdoem à expressão, mas a uso para me fazer entender sem falsos moralismos.

Primeiro, ninguém está pedindo pra você ser a favor de nada, e muito menos sua igreja. Vocês não passam de vermes fiscais da vida alheia que usam o nome de uma divindade pra encher a cabeça das pessoas com preconceito e intolerância. Ninguém quer a sua aprovação. Viva no seu mundinho de ignorância e continue perdendo qualidade e se transformando numa figura odiada em várias vertentes da militância gay, ateísta, pro-choice, da psicologia e até de cristãos.

Baseado nestas observações e discordando dessas posições atuais, e sabendo de sua militância hoje, me reservo no direito de militar também contra, fazer oposição ferrenha a estes abusos de poder psicológico que para mim não passam de manipulação. Inversão da realidade de valores que eles por não terem fé em Deus, não concordam e não percebem que sem parâmetros estão criando uma sociedade doentia que vive em busca de prazer a todo custo, se aprisionando de maneira cruel a realização desses. E os profissionais por sua vez, mesmo não concordando, são engolidos por estes de forma covarde por serem omissos e colocarem sua profissão acima de Deus. Nem ao menos em artigos reclamam desse autoritarismo.

Eu quero saber, Marisa. Já lhe veio à mente a possibilidade de nem todas as pessoas do mundo cultuarem o mesmo deus que você? Já lhe veio à mente que talvez a senhora devesse cuidar da sua vida e deixar as pessoas serem felizes com seus “prazeres” (tão condenados por você)? Os prazeres desse trio pouco influencia na sua vida, e de forma alguma “afronta a sociedade”. Os três vivem juntos e o problema é só dos três e de quem é influenciado pela relação. Penso que você não tenha nada a ver com a relação, já que teve que ir fofocar com o cartório da cidade de Tupã pra descobrir se era verdade.

Você diz que não quer falso moralismo, não é? Pois bem, a senhora deve estar sendo muito mal comida pelo seu marido e por isso precisa ficar dando uma de fiscal de cu e buceta e querendo mexer na vida de todo mundo, não é? Moralista é você, querendo impor os seus valores idiotas e egoístas em pessoas que não têm nada a ver com a sua vida e cuja relação não te atingirá de forma alguma.

A minha dica pra você: procure um psicólogo, Marisa Lobo, e aproveita pra descobrir como é o trabalho sério de um. E para de dar uma de maluca, pois no Código de Ética Profissional do Psicólogo está escrito:

Art. 2º – Ao Psicólogo é vedado:

b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais.

Quer ler o texto na íntegra? Cuidado, altos riscos de vômito: http://www.verdadegospel.com/acorda-igreja-diz-indignada-marisa-lobo-sobre-a-uniao-oficializada-entre-tres-pessoas/

O Sistema

Posted in Política, Texto by Igor on 20/10/2011

O sistema de ingresso a universidades no Brasil tem melhorado, mas ainda hoje tem falhas inaceitáveis para o mundo idealizado à arte e criatividade. Quero deixar claro que vou especificar o Brasil nesse texto por ter conhecimento profundo no sistema referente apenas a esse país, não confundam com bairrismo ou preconceito.

É preciso reavaliar as condições das avaliações que permitem o ingresso de estudantes em universidades públicas. É mesmo necessário que sejam estudados a fundo assuntos não condizentes à universidade desejada? No meu ponto de vista, não, considerando que um mundo cujas pessoas devem se interessar obrigatoriamente por coisas que não as interessa para que possam se destacar na área do verdadeiro interesse é um mundo de sistemas hipócritas e preconceituosos. Sistemas nos quais somos obrigados a viver se queremos seguir padrões erroneamente atribuídos como essenciais.

Vou dar um exemplo que se encaixa em muitos desses que prestam humanas mas são massacrados pelas exatas. Um estudante com aptidões evidentes em construção de texto, ou em design de produtos, nunca ganhará o salário de um formado em Jornalismo ou Publicidade, por mais que seus talentos sejam vezes melhores que os do formado. O mesmo sistema que te obriga a saber Álgebra, te limita quando você quer confiança em seu talento.

Em tempos de internet, tutoriais e self learning, não podemos dizer que uma pessoa sem diploma tem menos talento que uma com. É preconceituoso e hipócrita. É preciso avaliar o necessário para o sucesso em determinada área. No vestibular de hoje, ou você sabe tudo, ou você estuda em escola particular. E aí, onde ficam os pobres? Nos caixas de super-mercado, ganhando 500 reais por mês, com 3 filhos pra criar. Pobres, que por antes terem estudado em escola pública, não tiveram como atingir o excepcional. É preciso cortar o mal pela raíz. Ou no caso: curar as deficiências das cicatrizes de muitos anos.

Oi galera, tudo bem?

Posted in Internet, Política, Twitter, Vídeos by Igor on 31/03/2011

Era uma vez uma senhora que jogava todos os dias os jogos em flash da empresa PayMentez pelo Orkut, em especial o “Colheita Feliz”. O jogo, por falhas de administração responsável, colocou uma promoção no ar e não cumpriu o combinado aos vencedores. Essa mesma senhora fez um vídeo em reclamação à empresa dona da marca e correu atrás de seus direitos. O nome dela é Tulla Luana, também auto-intitulada “Web Diva”.

A moça ficou famosa. A revolta de uma consumidora é facilmente aceitável. A raiva e a frustração mostram humildade e confidencia. A questão foi: como uma mulher de mais de 30 anos pode perder dias da sua vida jogando jogos destinados às crianças?

Algumas pessoas começaram a postar informações pessoais da senhora Tulla Luana, como seu endereço, CPF e, principalmente dívidas não quitadas. Tulla Luana fez um vídeo “esclarecendo” sua situação, dizendo que é portadora de esquizofrenia e que por isso não consegue sair de casa, precisando de um entretenimento. Aceitável, se essa explicação não fosse totalmente recheada de xingos, palavrões, e ofensas.

Pronto. Começou a saga “Tulla Luana”.

A moça teve a magnífica idéia de desabilitar a avaliação e os comentários dos vídeos, o que faz com que ela não tivesse noção nenhuma da porcentagem das visualizações que realmente admira as atitudes dela e da que a odeia. Isso implicou numa falta de entendimento extremo. Tulla levou em conta apenas o numero de visualizações e, sem noção do que isso significa, se intitulou “Web Diva Tulla Luana”. Web Diva?

Uma das últimas e mais polêmicas atitudes da mulher foi pedir uma máquina Compacta Print a um ex participante do Big Brother Brasil e ao portal R7 da Rede Record. Ela pediu a máquina a essas entidades e não conseguiu. Ficou brava, bateu perna, e se arrependeu de se expor extremamente ao ridículo por uma máquina que apenas seria usada para confeccionar camisetas com a “marca” Web Diva Tulla Luana.

Ela ligou pra central de atendimento da Compacta Print e pediu pela máquina. Foi dito a ela que, se o Ratinho não aceitasse a proposta de ceder a máquina a ela, eles se encarregariam de dar a máquina. Um tempo depois, foi desmentido o fato da doação e Tulla se revoltou. Xingou a empresa e disse que vai processar. É assim que funciona pra ela. Se ela não consegue por caridade, ela consegue pela justiça. Maquiando um motivo racional ao ponto de vista da justiça. Julguem.

Senhora Tulla, as vezes é preciso um pouco de bom-senso.

Marketing

Posted in Internet, Política, Twitter by Igor on 27/11/2010

[…] O que deve ser entendido com tudo isso é que muitas empresas e companhias têm de colocar como dever e conceito explícito esse tipo de marketing, que atinge o público atual, através da mídia atual, com temas atuais.

Candidatos que fazem isso em campanhas eleitorais se dão bem – como bem provou Barack Obama, dono de um dos perfis mais seguidos do Twitter. É preciso atingir todos os públicos; desde a dona de casa – que veria o anúncio de campanha durante o programa da Ana Maria Braga – até o jovem – em massa em redes sociais. Esse é o marketing que compra evidência com dinheiro. […]

Dilma é a mentirosa da rodada?

Posted in Com desabafo, Política, Texto by Igor on 26/10/2010

Ontem tivemos mais um debate presidencial colocando frente a frente Dilma Rousseff do PT e José Serra do PSDB. Mais uma vez, José Serra, que não cansa de insultar Dilma com apelidos xulos como “mentirosa”, “hipócrita” e “pau mandado”, se gabou todo o tempo de grande desenvolvimento que seu governo estadual trouxe ao Estado de São Paulo. Mas será mesmo que é a Dilma que mente em campanha candidato? Vamos expor alguns fatos.

Em escolas estaduais do interior de São Paulo, a situação é a seguinte: a falta de professores e até de substitutos faz com que alunos do Ensino Médio não tenham aulas. Salas vazias pela simples falta de incentivo e interesse que deveria partir dos professores, depredadas, por falta de segurança e vistoria, falta de comunicação, inimizade entre coordenação e alunos… Fatores causados pelo mau governo estadual.

José Serra se gaba pela educação no Estado de São Paulo, mas acho que o senhor governador não tem a mínima noção do caos que o governo dele construiu. Argumentos como “a melhor avaliação do Brasil” são ridículos, pelo simples fato que professores e coordenação são obrigados a dar notas a alunos repetentes para que a avaliação continue a subir. Se o famoso “passe automático” não acontecer, o índice cai e os professores e escola responsáveis sofrem conseqüências como diminuição de salário e diminuição de benefícios implantados em recursos educacionais.

Vou relatar abaixo algumas situações que ocorreram esse ano na minha escola, que é pública, estadual e situa-se no interior de São Paulo.

Há alguns anos todos os forros e telhados das salas de aula foram trocados, com verba do governo. Bom, se não fosse a baixa qualidade do material – conseqüência do baixo valor disponibilizado pelo governo – e mão de obra. Meses se passaram e tudo começou a despencar. A primeira ocorrência foi no ano passado. A escola fez boletins de ocorrência e conseguiu verba para arrumar o estrago. Bom, se o estrago não tivesse sido consertado apenas na sala em que o desastre tinha acontecido. Um ano depois, a vítima sou eu. O forro da minha sala caiu durante a aula no período da tarde, deixando muitas crianças que estudam na mesma área assustadas e traumatizadas. O fato foi parar nos jornais e teve repercussão intermunicipal.

Pra esse caso também foi feito boletim de ocorrência pela escola e pedida verba, só que antes mesmo do retorno do governo, uma tempestade atingiu a cidade e mais duas salas ficaram sem forro, além de uma árvore que caiu e quebrou o muro da escola. Alunos estudando na quadra de esportes, no pátio, e nós, como fomos os primeiros a ficar sem sala, tivemos a sorte de ter uma sala vazia no fundo da escola, que era usada como depósito de material inutilizado.

Uma supervisora da Diretoria da Educação da cidade de Bauru, perto da cidade onde fica a escola, veio vistoriar a situação e constatou que o pedido de verbas era urgente, mas que mesmo assim a verba só viria em dois ou três meses. A escola recebeu indicação de paralisação das aulas durante esses dois meses, só que uma das salas (a minha) é do terceiro ano do Ensino Médio, o que complica tudo, já que dois meses era o prazo para o fim do ano letivo.

Essa é apenas uma das mil e uma situações absurdas que acontecem na escola estadual, que é culpa do governo estadual e da falta de verbas e que só quem convive sabe. E José Serra ainda tem coragem de se gabar por coisas como essas…

José Serra compra votos pagando benefícios

Posted in Internet, Política, Texto by Igor on 21/10/2010

Eu até consigo ver verdade nas falar de José Serra ao se defender dizendo que o que o presidente Lula disse foi ridículo – culpar o governador de farsa pela bolinha de papel, mas aí eu vejo esse tipo de notícia e mudo totalmente o meu pensamento…

Esse cara sabe mesmo como mentir e ainda ter o apoio da mídia mais importante do mundo: a televisão. Pelo menos ainda é a mais importante pela pequena parte de eleitores adultos e sem opinião não ter acesso à internet e, conseqüentemente à verdade.

Atualização: Mais informações e fotos no link: http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=17104

Porque votar na Dilma, ou ir contra José Serra

Posted in Crônicas, Internet, Política, Texto, Twitter, Vídeos by Igor on 19/10/2010

Eu fico impressionado quando vejo gente declarando apoio e voto a José Serra, do PSDB. Quando pergunto os argumentos, aí sim vejo um monte de merda saindo da boca de gente mal instruída e que não conhece o real governo estadual do Mr. Burns, assim como eu. Esse cara hipócrita e mentiroso teve a capacidade de dar a seguinte resposta quando perguntado se conhecia Paulo Vieira de Souza, apelidado de “Paulo Preto”: “Eu não o conhecia por esse apelido, pois eu acho isso discriminação e preconceito, blá blá…” Porra, até a minha vó sai de uma polêmica melhor que o senhor, senhor governador. Tenha apenas um pouco mais de respeito com os cultos que votarão no senhor; os que entendem o que o senhor diz; os que conseguem entender hipocrisia. É claro que isso não teve nenhuma repercussão, já que o debate foi transmitido pelo pequeno canal RedeTV!. Já estou cansado de falar nesse blog sobre o que eu considero hipocrisia quanto a esse assunto de preconceito hipócrita. Vamos ao que importa.

A filósofa Marilena Chaui, professora da Universidade de São Paulo (USP) fala nessa coleção de vídeos um pouco sobre os avanços do governo Lula, as características do candidato José Serra e experiências pessoais envolvendo a candidata a presidente Dilma Rousseff. Veja o primeiro vídeo abaixo e o resto nos links seguintes.

Os links para os outros três vídeos são os seguintes: vídeo 2, 3 e 4.

Abaixo, veja dois infográficos de balanço feito pelo designer Bruno O. Barros comparando os aspectos do governo FHC e Lula.

Você pode ver os dois infográficos em tamanho maior no site do ilustrador.

É uma questão de abrir os olhos, pesquisar e aguçar a crítica própria. Não quero mudar a opinião de ninguém, apenas demonstrar de forma simples e usando argumentos externos o porque do meu apoio. Não recebi nada pra isso.