Mictório Unissex

Entendendo o seriado LOST

Posted in Mictório Unissex, Texto, TV by Igor on 01/12/2012

Há algum tempo terminava uma das séries mais importantes da minha vida. Era abril de 2010 e aABC exibiria finalmente o demorado e cheio de expectativas último episódio do seriado LOST, de J.J. Abrams. Como de praxe, ajustei meu televisor (torrent) e esperei o programa passar (baixar). Duas horas depois de abrir o arquivo com suspense indescritível, o “eu” de dezessete anos estava lá, sentado em frente ao computador, extasiado, com os olhos suados. Eu tinha acabado de ver na minha frente os últimos minutos de um seriado que tinha feito parte dos últimos seis anos da minha vida. Estava feliz, convencido e satisfeito. Diferente do resto do pessoal do Twitter, que eram as únicas pessoas que trocavam idéia do seriado comigo.

Alguns argumentos se baseavam na idéia precipitada que todos tiveram no episódio final quando, no fim, Jack Shephard percebe, finalmente, que todos os personagens que estão na igreja estão mortos. “Fine and done”, pensei. Achei que não tinha entendido o final, e fui assistir de novo dali algum tempo. Percebi que não. Todos os mimimis do Twitter, Facebook e outros blogs eram baseados no mesmo erro: a precipitação e a não compreensão da diferença entre os conceitos das linhas do tempo do purgatório (ou seja lá como você prefere chamar: limbo, universo paralelo, plano espiritual) e da do mundo real.

Continue a ler aqui…

Resumo da minha vida em Junho

Eu pensei em fazer mais um vídeo fazendo um resumo dos meus favoritos de Junho mas a minha câmera tá sem pilha, as pilhas que eu compro não funcionam direito e eu já cansei de tentar fazer essa merda desfocativa funcionar. Então eu vou fazer em texto mesmo, desculpa os que não sabem ler, mas né, vamos lá.

A Guerra dos Tronos

Eu comprei finalmente esse livro que tanto se fala sobre. Demorei mesmo. Eu tava esperando ler pra assistir o seriado, mas já até tinha desistido. Recebi um dinheiro do tráfico de um trabalho que eu fiz e aí pude comprar esse tijolo de 50 reais. Tenho críticas grande sobre a edição, mas primeiro vamos falar da narrativa.

Fiquei muito confuso quando comecei a ler. Primeiro porque os capítulos têm nome de personagens. E segundo que os nomes são todos muito difíceis e parecidos, o que me faz não saber direito se eu conheço o personagem que me apresentam ou se é outro com o nome parecido. Acho que um pouco disso aconteceu porque eu estava tentando ligar o nome ao ator que interpreta o personagem no seriado, cujo vi o primeiro episódio. Mas já estou pegando, tomara que não apareçam mais personagens.

A edição que eu comprei imagino ser a única versão lançada em português. Ela tem orelha, é muito bem impressa e as páginas são amarelas. Mas tem um problema: pelo livro ser muito grande, a editora provavelmente tenha querido cortar gastos e acabou fazendo as letras ficarem extremamente pequenas numa página quase sem margem. Isso faz a leitura ficar cansativa e os capítulos parecerem pequenos. Mas enfim, eu uso o óculos e tudo fica bem. Mas por favor, se alguém de editora estiver lendo isso, não poupem gastos! Façam edições lindas. Isso fará vocês ganharem mais dinheiro ainda.

Before Watchmen

Lá em 2009 participei de uma promoção do Jovem Nerd que daria aos vencedores a versão definitiva de Watchmen junto com dois DVDs relacionados às HQs e um jogo de PS3 baseado no filme. Ganhei com muito amor e li. Virei fã incondicional de todos os personagens, da HQ e do filme. Tenho minhas críticas mas não vem ao caso. Agora em 2012 o Darwyn Cooke decidiu lançar pela DC a série Before Watchmen pra contar a história do grupo de heróis que existiram antes dos Watchmen e que inspiraram os Watchmen à ação. Comecei a ler e já percebi que o estilo é muito parecido com o de Watchmen e embora os desenhos deixem explícita a vontade de reproduzir fielmente a série original, o autor dos desenhos novos está saindo um pouco do que é conhecido pelos fãs, principalmente quando desenha personagens mulheres já conhecidas da série original. Mas enfim, né.

Skrillex – Bangarang

Pois é, dubstep me conquistou desde quando ouvi pela primeira vez. Eu sabia que esse estilo de música era o que estava faltando na minha vida. Baixei várias coisas, inclusive o CD do seriado Skins, que tem muito dubstep, e junto o CD do Skrillex, o Bangarang. CD muito bom. Pra quem gosta de dubstep e Skrillex é, com certeza, o melhor dele.

Linkin Park – LIVING THINGS

O Linkin Park finalmente lançou o álbum novo. Living Things saiu primeiro no iTunes e depois dia 16 de Junho teve o lançamento oficial. O álbum nem chega aos pés de A Thousand Suns, mas é bom. Melhor que o Minutes to Midnight. Nem vou falar muito aqui sobre isso porque já falei bastante de Linkin Park há pouquíssimo tempo aqui.

Tim Minchin & The Heritage Orchestra Live At The Royal Albert Hall

Já falei de Tim Minchin também, né, mas nunca é demais. O cara passou a vida de shows dele inteira fazendo performances só com seu pianinho e agora tem a Heritage Orchestra junto dele com arranjos maravilhosos para as músicas do show. Vale a pena dar uma olhada nesse sho absolutamente fantástico e totalmente diferente dos outros shows conhecidos dele. Vai aí navegar pelos mares piratas da internet que você acha o DVD para download.

E é isso, galera. Espero que vocês possam apreciar minhas dicas de leitura, música e todo o resto e até mês que vem, possivelmente com outro vídeo falando sobre as minhas conquistas intelectuais e amorosas do mês. Adiós.

As (prováveis?) causas das alucinações pós/pré-coma

Posted in Arte, Artigo crítico, Ateísmo, Ciência, Mictório Unissex, Texto, Vídeos by Igor on 06/06/2012

Desde que nasci fui obrigado pela cultura familiar a assistir à Globo e, no quesito religião, a ir na Igreja e respeitar os espíritas, por boa parte da minha família seguir tal vertente do cristianismo. Pois bem, com esses conceitos mesclados às minhas dúvidas, me apareciam aqueles relatos de pessoas que entraram em coma e testemunharam a si próprios de uma perspectiva diferente e viram a luz no fim do túnel com algum indivíduo lá. Tudo me fazia acreditar que aquilo era real, porque diferente dos testemunhos evangélicos, esses eram mais reais e se encaixavam direitinho nas crenças judaico-cristãs e espírita de onde meus conceitos vinham. E apesar de sempre ter sido meio cético, nada me impressionava mais que esses relatos. Hoje, depois de muita pesquisa, venho a vocês mostrar as conclusões que eu tomei, por impulso do meu próprio cérebro cético, do significado dessas “visões”.

Antes de começar, queria deixar claro aqui que tudo não passa de apenas chutes, não tenho nenhum conhecimento aprofundado sobre neurociência ou comportamento da mente humana. Uso como argumento os fatos que encontrei em artigos devidamente citados e relacionados no final do texto.

Afinal, que é a luz no fim do túnel? E porque nela sempre tem algum santo ou parente falecido? Endel Tulving, importante psicólogo e estudioso da neurociência uma vez disse “A nossa habilidade de relembrar o passado e antecipar o futuro é uma ‘viagem no tempo mental.’”, e é com essa citação que começo a tentar entender como funciona as visões que acontecem depois/antes de um choque.

Pesquisas envolvendo um paciente (K.C.) que se envolveu em um acidente de moto e depois não conseguiu recuperar o poder neurológico de relembrar situações que lhe haviam acontecido nem 5 minutos atrás, mostraram que o nosso cérebro precisa da percepção do passado para criar uma visão mesmo que hipotética do futuro. K.C., quando pedido para imaginar a si mesmo em algum lugar que ele fosse ir no futuro, respondeu aos médicos que a única coisa que conseguia ver era um completo branco. Outro paciente ainda disse que poderia descrever um futuro abstrato, mas que não era capaz de imaginá-lo. Ou seja, a nossa habilidade de pensar no futuro, ter medo da morte, ou até de fazer planos, está completamente relacionada com a habilidade que temos em guardar memórias. Mas prossigamos, que tem mais!

David Eagleman, um neurocientista na Baylor College of Medicine, demonstra com experimentos completamente simples que nossa mente funciona de uma maneira atrasada, levando em consideração o tempo real, o tempo de fato. Segundo ele, demora-se 80 milissegundos para que as informações cheguem ao nosso cérebro, o que nos faz sempre estar atrasados quanto ao tempo natural. “Quando você pensa que um evento acontece, na verdade ele já aconteceu” disse Eagleman. Em uma experiência que pode ser feita em qualquer lugar, Eagleman prova que o nosso cérebro exclui estes atrasos quando estamos realmente tentando perceber algo na prática. Ele diz que se você colocar um dedo no nariz e o outro na ponta do dedo do pé você vai sentir os dois ao mesmo tempo, por mais que o sinal do nariz tenha chegado muito antes do que o do dedo do pé.  Esses atrasos bloqueados pelo cérebro prova que a nossa consciência vive no passado em questão ao nosso corpo e o tempo natural.

Mas o que tudo isso tem a ver com as alucinações que acontecem quando as pessoas relatam ter visões do fim do túnel e de parentes/santos nele? Simples: a percepção do movimento que te causa o coma ocorre antes da sua consciência dar conta do que está acontecendo. Nesses 80 milissegundos, é provável que surjam questões como “onde vou?” ou “vou me encontrar com meu pai/Deus?” Essas questões são todas montadas pelo cérebro humano, que de perfeito não tem nada e que pode causar algum tipo de desconcerto das idéias reais, simplesmente compila todas as informações e junta-as como um filme (que seria aquele tal filme da vida que as pessoas tanto falam que vêem antes de entrar num coma) e a sua percepção do que está acontecendo simplesmente independe da realidade, se torna a partir daí uma fonte gigantesca de qualquer e todo o tipo de alucinação. Se você tem algum problema como o do paciente K.C., você provavelmente não terá alucinações como estas, pois seu cérebro não lembrará de experiências ou faces e não será capaz de montar um destino irracional que possa posteriormente parecer sobrenatural e ao mesmo tempo real.

Espero que eu tenha conseguido passar algumas de minhas idéias malucas que envolvem meu relacionamento sincero e próximo com a ciência. E peço que todos os médicos e neurocientistas que, por algum motivo venham a ler este artigo, ignorem os erros e tentem esclarecê-los para mim. Estou aberto a discussões e queria a opinião de todos para poder criar ainda mais teorias para coisas inexplicáveis que, por serem inexplicáveis, simplesmente são atribuídas à religiosidade. Fique aí com o vídeo que me fez quere falar sobre esse assunto e depois os links de onde tirei inspiração e informação.

http://blogs.scientificamerican.com/observations/2011/09/15/time-on-the-brain-how-you-are-always-living-in-the-past-and-other-quirks-of-perception/

http://en.wikipedia.org/wiki/Benjamin_Libet#cite_note-L1979-14

http://www.cracked.com/article_19659_7-theories-time-that-would-make-doc-browns-head-explode.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Coma

http://www.scielo.br/pdf/abo/v68n1/23273.pdf

Mais algumas fotos da campanha “See the unseen” da Spuk

Posted in Arte, Cinema, Design, Mictório Unissex by Igor on 23/04/2012

Lembram desse post do MU lá de 2010? Pois bem, vi um post no Brainstorm #9 sobre uma campanha da LG que me deu coragem de continuar esse das imagens do Spuk. Eu não sei se eu não vi as outras na época ou se não haviam sido feitas, mas enfim. Aqui estão algumas, mais aquela dos Beatles.

As originais aí embaixo, caso você viva em outro mundo.

Eu, Deus e a religião…

Posted in Mictório Unissex, Religião, Texto by Igor on 11/02/2012

Designemos.

Ateu: aquele que não crê em divindades.

Deísta não-religioso: não merece respeito por parte de líderes religiosos, são condenados pelo livro cristão e são, possivelmente, os mais psicologicamente aceitáveis dentre os deístas. Também chamados de “agnósticos”.

Deísta religioso judaico-cristão: Maioria. Freqüenta a igreja e profere trechos do livro cristão a todo momento sem nunca ter o lido por inteiro. Geralmente seguidor de cultura religiosa familiar. Geralmente, não tem IDÉIA do nome do deus que cultua.

Deísta judaico-cristão assíduo: Leu a Bíblia, concorda com tudo que há nela, vai a missa todos os dias, paga o dízimo, reza todos os dias, segue todos os princípios cristãos e abomina tudo que não seja de origem bíblica. EXTINTO.

Primeiro, sobre mim, ateu:

Porque não creio?

Desde pequeno foi tantado me empurrar goela abaixo as idéias de Papai Noel e Deus. Logo, fui aceito como um não crente na lenda do Papai Noel. “Nossa, esse menino é inteligente desde pequeno.” diziam os pais, tios e parentes. Quando crescí, do mesmo modo que não encontrei motivo algum para crer em Papai Noel aos meus 5 anos, não encontrei motivo pra crer em qualquer deus. Abominável pra minha família, deísta religiosa judaico-cristã.

Ateus

A nossa ideologia não inclui profanar deuses alheios, e muito menos minimizar a idéia de qualquer grupo, mas, com o passar dos anos e o começo da realização do sistema da sociedade atual, somos quase obrigados a não aceitar instituições que deteriorizem de qualquer modo uma certa sociedade usando como argumento as vontades de um deus que só existe mesmo no papel. Ou talvez também num tomate podre ou no cu de um cachorro.

Não há como negar que existem muitos ateus vidrados na expressão de seu pensamento em forma de ataque às religiões mais próximas que, conseqüentemente os incomoda mais, como o catolicismo e o protestantismo. Prova disso é a página (não sei se oficial – espero que não) da ATEA, Associação de Brasileiros Ateus e Agnósticos, no Facebook, que não só brinca com a fé dos outros, que muitas vezes é base vital, como também enfatiza fatos históricos que nada acrescentam a seus argumentos nos dias de hoje, como por exemplo dizer que o Papa da época do Hitler era ciente de toda a calamidade.

Somos apenas pessoas que seguem a legislação de um país constitucionalmente laico, a moral passada pela família, a ética imposta pela consciência criada pelo convívio geral, e que não é do Capeta só porque não crê no que todo mundo crê. Até porque, o Capeta seria também parte da crença na mitologia cristã.

Deístas não-religiosos (agnósticos)

É, compreensivelmente, a parte dos deístas que mais se aproxima das ideologias do ateísmo. Geralmente é aquela pessoa que diz acreditar numa entidade superior que governa o universo e que tudo que existe no universo a ser descoberto ou já descoberto foi criação desse ser. Argumentam que, talves os deuses de todas as várias religiões seja o mesmo deus, O Deus.

Geralmente, grande parte das pessoas desse grupo são ateus ainda inseguros sobre qual direção seguir, se o da submissão à insegurança e à promessa da vida eterna ou se o da liberdade sem peso na consciência. Existem até padres da igreja católica que seguem essas ideologias, por incrível que pareca. Mas as barbaridades da Bíblia, quando lidas da forma correta, são realmente um passo gigantesco em direção ao ateísmo.

Deístas religiosos judaico-cristãos

É aí que se enquadram quase todas as pessoas que estão na missa todo o domingo. Provavelmente não sabem que o deus a que cultuam se chama Jeová, provavelmente nunca leram a Bíblia – pelo menos não as partes que não convém-, e não praticam nada do que é imposto como dever no livro.

É o tipo de gente que se diz completamente fiel a Deus e seguidor da Bíblia mas tem o cabelo curto – quando mulher -, não sai na rua com véu à cabeça e acha um absurdo frases como “a mulher deve se curvar diante ao homem.” Não, não! Não me julguem. Acho isso um extremismo gigantesco e todos sabemos que para tal atitude vinda do homem, o valor penal a se pagar é forte na nossa legislação. Isso está escrito na Bíblia, meus caros. Pra não dizerem que estou mentindo, veja aí na sua super hiper master blaster nova edição 2012, tá lá!

“Mulheres, sede submissas aos vossos maridos, como convém no Senhor.”
– Colossenses 3:18

“As mulheres tem de ser submissas aos vossos maridos.”
– Pedro 3:1

“O homem não foi criado para a mulher, mas a mulher para o homem.”
– Coríntios 11:9

“As mulheres devem ficar caladas nas assembléias de todas as igrejas dos santos, pois devem estar submissas, como diz a lei.”
– Coríntios 14:34

“Que a mulher aprenda em silêncio, com total submissão. A mulher não poderá ensinar nem dominar o homem.”
– Timóteo 2:11-12

“O marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja. Do mesmo modo que a igreja é submissa a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo aos maridos.”
– Efésios 5:22-24

E tem mais. Mas prossigamos.

Deístas judaico-cristãos assíduos

Os deístas judaico-cristãos assíduos é um grupo de pessoas que está extinto. Para uma mulher ser fiel deísta judaico-cristã assídua, seria preciso que os cabelos e qualquer pelo do corpo nunca fosse cortado ou aparado, seria preciso que houvesse submissão total ao homem e, conseqüentemente à igreja, e não poderia sair na rua se quer de calça ou camiseta. O homem fiel ao deísmo judaico-cristão teria que, para seguir as leis da Bíblia, infringir muitas leis, como por exemplo: apoiar e usufruir de trabalho escravo, espancar a mulher constantemente, nunca deixar o cabelo crescer a ponto de cobrir as orelhas e matar os próprios filhos – e vários outros absurdos.

É complicado pensar numa sociedade onde haveria apenas esse tipo de deísta. Seria uma sociedade que seguiria regras tão absurdas que não eram seguidas nem na época de Jesus. Seria preciso não haver polícia, ou governo, ou legislação/constituição. Seria calamidoso. Ironicamente, o Jesus da maioria das igrejas atuais é um pecador, por causa dos cabelos grandes.

Depois de deixar claro todos os tipos que conheco de deísta, posso me ir com muito sossego, já que, da próxima vez que alguém vier me perguntar porque sou ateu, posso mandar o link deste post. Lembre-se, antes de comentar, o que eu disse sobre os ateus. Não estamos aqui para diminuir e nem fazê-lo mudar de idéia. Só queremos mostrar nossas opinião, e assim fazemos em nossas casas, sem pedir dízimo de ninguém, via internet, que significa que você só está lendo porque quer. Então…

Boas noites aí pra vocês, e feliz Dia da Descoberta da Cura do Câncer! :)

Meu álbum de edits – Uno

Posted in Arte, Internet, Música, Mictório Unissex by Igor on 24/09/2011

Desde 2008 tenho trabalhado em algumas músicas para fazer do que era bom, melhor. Comecei com remixes engraçadinhos, como colocar batidas de funk na genial Ameno, fazer uma edição funk de Black Eyed Peas e etc. Mas com o tempo fui desenvolvendo skills e agora venho a vocês mostrar o que rolou nesses 3 anos. As tracks do álbum não estão em ordem de criação, mas você pode deduzir que as melhores foram as últimas que eu criei e as piores, as primeiras. Vocês podem baixar o arquivo .rar do álbum no link abaixo, e espero que gostem!

A tracklist:

1. Lady GaGa – Paparazzi (Igor Moretto’s edit)
2. Michael Jackson – Just Beat It (Igor Moretto’s Beat It edit)
3. Survivor – Eye of the Tiger (Igor Moretto’s edit)
4. Black Eyed Peas – I Gotta Feeling (Igor Moretto’s edit)
5. Pearl Jam – Alive (Igor Moretto’s edit)
6. Red Hot Chili Peppers – Dani California (Igor Moretto’s edit)
7. Ke$ha – Tik Tok (Igor Moretto’s edit)
8. The Kooks & Britney Spears – Stormy Weather vs. If You Seek Amy (Igor Moretto’s mashup edit)
9. The Gossip – Standing in the Way of Control (Igor Moretto’s edit)
10. Black Eyed Peas – I Gotta Feeling (Igor Moretto’s funk edit)
11. Andrew Bird – Scythian Empire (Igor Moretto’s techno remix)
12. Michael Jackson – The Smooth Criminal (Igor Moretto’s Smooth Criminal edit)
13. Avenged Sevenfold – Almost Easy (Igor Moretto’s edit)

E é isso! Mas antes de terminar o post, peço que escutem as duas tracks que eu coloquei no Soundcloud que vão estar no próximo álbum: Long Train Running [Igor Moretto’s edit] e Afterlife [Igor Moretto’s edit]. Interessante é que a Almost Easy do Uno jé tem 500 views e 12 favoritaram. Massa! Baixem também um álbinho com algumas edições novas, incluindo uma nova demo da Ameno e um remix da música do Epic Sax Guy aqui. Valeu pelo apoio, pessoal!