Mictório Unissex

Somos livres, só que não

Posted in Artigo crítico, Ateísmo, Cinema, Internet, Política, Religião by Igor on 22/09/2012

O governo fazendo merda em nome de um deus que, segundo eles, é melhor. Pode até ser que esse grupo de religiosos, dimensionalmente seja muito mais prejudicial do que os ocidentais, mas são atitudes como essa que me fazem odiar qualquer religião. Se não é usada para matar, é usada para manipular, e isso é tão grave quanto.

Sei também que há pessoas que seguem religiões e que são pessoas boas, não generalizo. A religião tem atitudes boas, assim como maus, mas o problema é que tudo o que faz mal nas religiões ultrapassa a diferença entre o que faz bem. Não odeio Allah, não odeio Jeová, nem Jesus… Odeio quem os usa, quem diz os representar pra controlar, manipular, matar, bitolar, e promover ignorância.

Ontem mesmo vi uma notícia que dizia que algum lugar tinha aprovado leis contra a burca/talibã. Qual é a lógica de um governo ocidental querer se impor sobre outro grupo porque a sua religião é diferente e usando o argumento do secularismo? Secularismo não é proibir, não é mudar à força. Liberdade é a única palavra que as pessoas parecem não conhecer o verdadeiro significado de verdade.

Como já falei, são as mesmas pessoas lutando por causa de um mesmo aspecto divino dividido em vários dogmas, costumes, culturas. É uma raça de animais que acham que por ter sido agraciada pela consciência na seleção natural tem o direito de passar dos limites da moral e viver sob as leis de uma legislação antiga e ultrapassada.

Acorda, pessoal. Somos uma raça só. Somos todos humanos, somos todos macacos, somos todos um só tipo de animal que se mata por ideais idiotas.

Reencontro de Chris Lloyd e e Michael J. Fox

Posted in Cinema, Fotos, Internet by Igor on 06/07/2012

E a foto emocionante do dia na minha timeline é a do reencontro de Michael J. Fox e do Chris Lloyd no aniversário de 25 anos do Back to The Future

Chorei.

Do it yourself: Kit de filmagem (infográfico)

Posted in Arte, Cinema, Design, Guia Prático, Infográfico by Igor on 24/04/2012

Pra quem é como eu, que tem vontade de fazer algo de qualidade sem muito dinheiro, pode começar a idolatrar os guias práticos que ensinam você a criar coisas que teoricamente deveriam ser compradas, os Do It Yourself. Achei um infográfico com algumas dicas de como fazer ferramentas úteis a cinegrafistas amadores com material regular, de casa!

Isso me lembrou aquele fatídico causo em que Steven Spielberg chegou e perguntou ao Fernando Meirelles como ele havia feito a cena da galinha no Cidade de Deus, que segundo ele teria lhe custado uma fortuna para se fazer em Hollywood. Imaginem a cara dele quando Meirelles disse que a cena foi feita com uma câmera amarrada com fita crepe num cabo de vassoura?

Vê aí como Meirellizar suas ferramentas nesse infográfico genial. Para aumentar é só clicar (oras!), e tem um link pra página original do arquivo no fim do post.

Página original do The DIY Filmmaker’s Toolkit

Mais algumas fotos da campanha “See the unseen” da Spuk

Posted in Arte, Cinema, Design, Mictório Unissex by Igor on 23/04/2012

Lembram desse post do MU lá de 2010? Pois bem, vi um post no Brainstorm #9 sobre uma campanha da LG que me deu coragem de continuar esse das imagens do Spuk. Eu não sei se eu não vi as outras na época ou se não haviam sido feitas, mas enfim. Aqui estão algumas, mais aquela dos Beatles.

As originais aí embaixo, caso você viva em outro mundo.

Atores fodas revivendo personagens fodas

Posted in Arte, Cinema by Igor on 21/04/2012

[ATUALIZAÇÃO PROS CHATOS]: Eu sei que isso é material de 2009, mas o blog é meu, o que refuta eternamente todos os seus argumentos sobre as regras da internet.

Deve haver um medinho nos atores de que um certo personagem faça tanto sucesso que ele seja apenas lembrado por aquele trabalho. Me diz que Daniel Radcliffe ja não é Harry Potter? E Elijah Wood não é Frodo? Pelo menos eles tiveram a oportunidade de brincar com tal medo – não necessariamente propositalmente com esse intuito.

A Empire fez uma sessão de fotos com alguns atores e seus respectivos personagens mais icônicos. Na sessão, a Empire conseguiu reviver personagens como Hannibal Lecter, Aragorn e Boromir, William Wallace e outros. Veja algumas fotos da sessão aqui e depois tem o link pras outras fotos no final.

Quando eu vi essa foto do Anthony Hopkins com a Jodie Foster até me arrepiei, imaginando as coisas que eles conversaram durante esse remake da parede de vidro do Hannibal…

Veja as outras fotos aqui!

Fotos de bastidores de filmes cult

Posted in Arte, Cinema by Igor on 21/04/2012

Sempre tem aquele filme que você gosta mas só imagina aquelas situações e personagens no aspecto apresentado no corte final, não é? Por isso que as pessoas gostam de ver fotos de bastidores de filmes. Você vê como funciona a magia da edição. Então veja abaixo imagens de bastidores de filmes que todo mundo gosta e no final do post o link pro álbum com todas as fotos!

Star Wars

Planeta dos Macacos

O Senhor dos Anéis

Veja as demais fotos aqui!

Planeta dos Macacos: A Origem

Posted in Arte, Artigo crítico, Cinema by Igor on 18/04/2012

Finalmente assistí o Planeta dos Macacos: A Origem, do ano passado. Admito que fiquei surpreso, pois o pré-julgamento, desde quando assisti a versão de 2001, nunca mais saiu da minha cabeça quando o assunto era Planeta dos Macacos. Sou um fã que exige e condiciona muito de filmes que são baseados em obras originais que gosto.

A franquia de filmes baseados no livro La Planète des singes, de Pierre Boulle, começou lá em 1968, quatro anos depois da primeira edição traduzida do livro chegar à Inglaterra. Foi um sucesso, mesmo tendo apenas tido baseado do livro aspectos políticos e sociais, e não de enredo. O filme conta a história de 4 astronautas que, ao se perderem no tempo, ou melhor: foram para o futuro. Lá os 3 astronautas sobreviventes da viagem (assista ao filme, ué!) chegam à Terra sem saber que é a Terra e descobrem que a sociedade daquele planeta é constituída por macacos. O filme tem o final épico e sempre lembrado do astronauta carinhosamente apelidado pelos macacos de “bright-eyes” encontrando a estátua da liberdade na praia e se dando conta de que o planeta em que está é realmente a Terra.

Em 1970 apareceu por aí o o segundo filme: De Volta ao Planeta dos Macacos, mostrando a continuação da jornada do remanescente astronauta e de mais um grupo que chega para supostamente salvá-lo. Logo veio o terceiro, o quarto, o quinto… e a crítica foi ficando mais rígida, como sempre! Nunca a crítica vai se acostumar com a inserção de elementos ficcionais novos. A crítica sempre vai achar que as novidades excederam o necessário para a história. Se você é um desses, veja só o primeiro (se conseguir).

Agora falando sobre a exaustiva crítica à utilização de animais em laboratório, que está presente desde o primeiro até o último filme (apesar de ser apresentado de uma forma mais rígida)… São os argumentos inversos que mexem com o sentimental do espectador. Ver macacos dominando os humanos é reconfortante depois de mostrado o domínio excessivo dos humanos acerca dos macacos. Foi disso que gostei no novo filme, Planeta dos Macacos: A Origem.

Você é apresentado logo de cara ao sistema de captura e uso de cobaias de chimpanzés em um laboratório de pesquisas de doenças (no caso, a Alzheimer) e sente. O filme faz você sentir. Ele explora os sentimentos, do jeito que um filme bom deve fazer. O inverso é mostrado no final do filme e você se sente aliviado, vingado. O nome do macaco principal é Ceasar, o mesmo nome do macaco revolucionário dos primeiros filmes, e vejam só: o apelido da mãe dele ao chegar ao laboratório é “bright-eyes”! Uma das conotações aos filmes antigos que valem a pena ressaltar. É lógico que existem muitas outras ainda, mas vale a pena perceber por si só. Chega… Veja os filmes!

Os melhores créditos de abertura da história do cinema

Posted in Arte, Cinema, Design, Humor, Internet, Música, Religião, Vídeos by Igor on 14/10/2011

É o grupinho britânico vangloriado e financiado pelo gênio George Harrison que fez, na minha opinião, a melhor sequência de créditos de abertura da história do cinema. Sim, Monty Python conseguiu mais uma vez não ser apenas genial em um aspecto, mas em vários… A música é genial, os gráficos são geniais, as piadas subliminares são geniais, o filme genial! A abertura não vai estragar o filme, que aliás, você DEVE assistir o quanto antes. Life Of Brian rules!

Lindo, lindo! Em HD 720p então, só deus sabe!

Monty Python’s Life Of Brian no Rotten Tomatoes

Sentimentário

Posted in Arte, Cinema, Internet, Texto, TV, Vídeos by Igor on 11/04/2011

Quantas vezes já nos pegamos dizendo “eu achava que isso era tão grande quando era criança”? As crianças enxergam tudo diferente. Um brinquedo do parque vira um foguete; um bolo vira um castelo de chocolate; um cheiro, que “aperta um botão que faz passar um filminho na nossa cabeça“, vira lembranças… É de tudo isso que trata Sentimentário, a história de uma criança que fica indignada com a frieza passada pelo dicionário e resolve criar o seu próprio. Veja o vídeo clicando na imagem:

O vídeo está concorrendo no Festival de Vídeo Tela Digital, e eu venho pedir a vocês que votem no Sentimentário. Eu sei que a burocracia é grande, envolvendo o cadastro gigante e etc., mas é por uma boa causa! A arte. A arte moderna, que parece não existir, mas que está oculta nas nossas cabeças e nossas mãos. É só fazer o cadastro e clicar nas estrelinhas para avaliar! Obrigado, galerinha.

O Cinematógrafo

Posted in Arte, Cinema, Design, Internet, Vídeos by Igor on 30/01/2011

Desde pequeno ouço a pergunta “O que você vai ser quando crescer?” E tenho a sensação que já falei sobre isso em algum lugar. Hoje sei o que quero ser quando crescer, mesmo sabendo que já cresci e que está sendo difícil me tornar o que quero ser. Quero ser diretor de fotografia, fotografo, cinegrafista, cinematógrafo.

Criei um blog que fala exatamente sobre fotografia, não importando ser ela de algum filme, vídeo-clipe ou curta. Se a fotografia é boa e merece crítica, ela está lá. Hoje postei minha opinião sobre o clipe do último single póstumo de Michael Jackson, Hold My Hand, cujo link você encontra aqui.

Espero que vocês apreciem o blog e que acessem freqüentemente. Obrigado!

Harry Potter: Problemas de continuidade merecem remake

Posted in Cinema, Crônicas, Texto by Igor on 13/12/2009

Eu sei que é cedo – aliás, muito cedo – para pensar em um remake pra série Harry Potter, mas nesse texto, vou expressar o que sinto sobre os erros de continuidade dos filmes da série e, tenho certeza que vocês concordarão.

Harry Potter e a Pedra Filosofal teve a dose perfeita de magia e, em horas sombrias, escuridão. Souberam separar as coisas, fazendo do filme um filme bom e entendível. Depois, em Câmara Secreta, Chris Columbus, o mesmo diretor de Pedra Filosofal, continuou esse modo de fotografia, atuação, iluminação, colocando elementos sombrios em momentos sombrios e elementos claros, que traziam alegria nos momentos normais porque, quem leu o livro sabe: Hogwarts é um lugar confortável, muito diferente de um castelo frio e sem amor, que se tornou depois de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

Tive a impressão de que a morte de Richard Harris acabou com a continuidade da série. Antes do fato, Hogwarts era o lugar mais feliz para se estar. Jogos de Quadribol aconteciam sob o sol, meninos não corriam atrás de meninas como se os hormônios pulassem de seus poros, Flitwick nada mais era do que um anão velho e desengonçado. Depois da morte, Flitwick virou um maestro em miniatura, que, supostamente dava aula de Feitiços, Dumbledore, aquela imagem amorosa e que adorava dar conselhos virou o Dumbledore, o cinzento, que fazia piadas e erguia as vestes para descer das escadas. Hogwarts virou um lugar frio, sombrio. Na verdade, Hogwarts virou o terceiro andar. Lugar escuro, não freqüentado por ninguém…

É claro que muitas coisas melhoraram. A fotografia, operação de câmera, efeitos visuais, evoluíram muito do terceiro filme pra frente. Os terrenos não planos de Hogwarts melhoraram o visual da escola, ela teve uma maquete, teve um perfil. Mas, ou fazem isso desde o começo, ou não fazem. Deveriam ter colocado Michael Gambon embaixo de uma barba BRANCA, não cinza. Com uma vestes ROXA, não cinza. Com CHAPÉU, não boina… Terem mudado esses detalhes, me fazem querer um remake continuista.

O quarto filme foi uma cagada total. O diretor, que eu nem sei o nome, foi atrás de fazer uma coisa cheia de ação e acabou mijando no filme todo. A última cena, a cena mais importante de toda a série, teve 20 minutos, num cenário de papelão, e efeitos noventistas para carólia. A única coisa que vale nos efeitos são as edições na cara de Ralph Fiennes, que ficaram geniais. O quinto… Ah, o quinto… O livro mais complicado acabou virando o filme mais non sense de toda a série. Profecia, KD? O filme todo foi sobre amor, paixão, tesão, meninas, beijos e esqueceu sobre a coisa que realmente estava em questão, A VOLTA DE VOLDEMORT! Foi, tipo, duas horas de problemas adolescentes e vinte minutos de profecia, Ministério, Voldemort versus Dumbledore – uma das lutas mais esperadas – e FIM. Acabou. Neville, whatever. Conversa entre Harry e Dumbledore, whatever. Tudo whatever!

O sexto filme foi bom. Teve muitos momentos divertidos, chamou a família pro cinema, teve doses de amor juvenil controladas, como a crise da Hermione, que foi uma das melhores cenas do filme e tal. Mas o problema foi o mesmo do quinto, “whateveraram” tudo que envolvia o Príncipe Mestiço, o DONO da história. Snape, que terá a maior importancia nos últimos filmes – último livro – sumiu. PUF! Como diria Slughorn bebado, que aliás, proporcionou as maiores e mais engraçadas cenas de humor da série.

Mas é, né? Os diretores não leram os livros, o roteirista adora usar a tesoura, os atores gostam de malhar, figurinista de mudar, e caster mudar ator que faz tal personagem… Porque, né? Quantas atrizes já fizeram o papel de Lilá Brown? 5, no mínimo. Uma pra cada filme. E também, não é? Um remake colocando um ATOR no lugar de Daniel Radcliffe, seria muito bom. Hehe!

Distrito 9, um filme que não para

Posted in Cinema, Texto by Igor on 21/10/2009

Há tempos tenho ouvido falar de Distrito 9, o novo filme sobre alienígenas apresentado por Peter Jackson. No começo pensei: “ah, mais um filme sobre a historinha da chegada dos ETs na terra e de sua falta de civilidade e tentativa de adaptação…”, mas, logo que o filme começou pensei “Meu Deus, que tipo de filme vai ser esse?”. É um filme de surpresas.

O agente da Multi-National United (MNU), Wikus Van De Merwe, foi o escolhido pelo seu chefe – pai de sua mulher – para comandar uma missão de mudança dos extras terrestres – que chegaram e se estabilizaram em uma área que logo se tornou uma favela improvisada sem muitos recursos – para outro distrito, chamado distrito 10, que substituiria a grande favela atual chamada de distrito 9, só que acontece que ele não é muito cuidadoso e acaba mudando sua vida e a de dois ETs que o ajudam em sua pequena jornada.

Spielberg já fez filmes de ET contando a relação emocional entre os ETs com o ser humano, mas dessa vez é diferente, o formato do filme é outro. Todo aquele blá blá blá de “quero ir pra casa” e “viemos em paz” foi completamente ignorada, junto com todas as adaptações dos ETs ao planeta e tal, começando a partir do momento em que a guerra pela mudança começa. Se você já está cansado de filmes como Sinais, Contato e todos esses suspenses estranhos, assista Distrito 9, um filme que não para. Veja o trailer.

Novo sneak peek do filme do MJ

Posted in Cinema, Música, Vídeos by Igor on 25/09/2009

Lembram que eu falei do filme que vai lançar as imagens dos ensaios da turnê “This Is It”, do Michael Jackson, ao público? Então, a divulgação do filme já começou; até porque ele começa a ser exibido no dia 28 de outubro. Há alguns dias a Sony lançou um sneak peek the 50 segundos mostrando Michael cantando Human Nature durante um ensaio. Foda.

É nóis.

O trailer de “Michael Jackson’s This Is It”

Posted in Cinema, Música by Igor on 14/09/2009

Há pouco tempo eu falei sobre o filme que será lançado com cenas inéditas dos ensaios da nova turnê de Michael Jackson e disse que o trailer oficial seria transmitido pela MTV, no VMA 2009, certo? Então, eu mandei um e-mail pra Sony pedindo o arquivo em alta qualidade do vídeo e eles me mandaram, subí no YouTube e aí está ele pra vocês.

Dia 30 de outubro no Brasil.

Michael Jackson’s This Is It

Posted in Cinema by Igor on 11/09/2009

Michael Jackson partiu deixando muitos fãs frustrados por não terem visto suas últimas performances ao vivo mas, mais do que isso, deixou mais de cem horas de cenas dos ensaios gravadas. Awesome! As cenas foram colocadas à venda e compradas rapidamente por um preço gigantesco.

Resolveram fazer um filme contando toda a tragetória de Jackson, só que, claro, não contendo coisas difamatórias. O filme mostrará várias cenas dos ensaios, bastidores e etc. Just can’t wait. Veja abaixo o poster oficial do filme, a ser lançado no dia 28 de outubro – clique para ver no tamanho original.

THIS-IS-IT

O diretor Kenny Ortega disse em uma entrevista: “Quando começamos a juntar as imagens para o filme, nos demos conta de que tínhamos filmado algo extraordinário, único e muito especial.” Isso não te empolga? Pelas primeiras imagens divulgadas dos ensaios, dá pra perceber que a qualidade é foda; veja as primeiras cenas divulgadas abaixo.

Neste domingo, no VMA, da MTV, estreiará o primeiro trailer do filme. O evento terá transmissão pela MTV Brasil e pelo site da emissora. Ansioso.

2012

Posted in Cinema by Igor on 27/08/2009

A teoria de que o mundo vai acabar em 2012 deveria ser conhecida por todos, mas como não é: é uma teoria que diz que o mundo vai acabar em 2012. Maôe! Dizem isso porque o calendário Maia acaba em 2012 e blá blá blá, mas vamos ao que interessa: o filme 2012, que vai ser lançado em novembro.

Desde a primeira vez que eu ví aquele teaser que mostra o monge (?) correndo para tocar o sino, eu já fiquei totalmente empolgado, imaginem agora, que lançaram os seguintes posteres e trailer?