Mictório Unissex

O copyright no YouTube e blá blá blá

Posted in Arte, Com desabafo, Internet, Música, Tecnologia, Vídeos by Igor on 21/09/2011

O YouTube é o site de streaming online de vídeo mais visitado e utilizado na internet. O site foi criado em 2005 por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim com a proposta de compartilhamento de vídeo, que ultimamente vem sendo mudada para compartilhamento de sua arte – e só sua arte.

Foi lançado há algum tempo uma ferramenta que identifica a ID do vídeo e áudio do arquivo e verifica se o mesmo tem registro de copyright por parte de alguma empresa associada ao sistema. Se você posta um vídeo com 2 segundos de uma música com copyright, seu vídeo é bloqueado ou será adicionado anúncios a ele, e, se algum dia, a empresa responsável pela produção do material resolver te foder a vida, pode te acusar de infringir direitos e cancelar sua conta.

É difícil dizer se tal atitude por parte das companhias e do YouTube é correta, já que é completamente compreensível que produtos registrados não devam ser usados sem supervisão ou aprovação do proprietário dos direitos. Mas e o artista? Se tudo fosse como é no YouTube, estaríamos ferrados.

Um vídeo considerado legítimo pelas normas do YouTube seria um vídeo com imagens suas, áudio seu, música sua, e tudo seu! Não existe compartilhamento de informação por criação ou arte. É tudo burocracia! Se as normas tivessem sido seguidas desde o começo, posso dizer que pelo menos metado dos vídeos viralizados no YouTube não seriam o que são. O que seria do Evolution of Dance sem as músicas? O que seria do gordinho Numa Numa sem a música? O que seria do garoto pianista e prodígio que cantou Lady Gaga no show de talentos e ficou famoso? Nada.

O YouTube deveria criar um formulário na inscrição que seria avaliado posteriormente para aí sim a conta ser liberada. Um formulário com informação do que era preciso para que os vídeos não fossem bloqueados. Perguntas como “pretende usar material de terceiros?” e “contate o dono desse material” faria tudo mais fácil. Sejam sensatos.

Não importa se o trecho do material usado é menor que 30 segundos, ou que você tenha comprado o CD. O material NÃO deve ser disponibilizado se não for completamente criado por você.” Disse o YouTube… Concordo que não se deve colocar o material completo – como episódios inteiros de seriados ou novelas etc.-, mas não é por isso que devemos sofrer por usar material não produzido por nós. Acredito que, hoje em dia, pouco tem produção integral pertencente a apenas uma pessoa. Pouco.

YouTube não ficou famoso por vídeos caseiros. Hoje a maioria consiste em vídeos caseiros, mas no começo, YouTube era uma alternativa de streaming de qualquer tipo de material. É preciso fazer com que empresas maiores entendam que a disponibilização de parte do conteúdo original é também uma forma de distribuição e divulgação. E não pagariam nada por isso! O sistema é kinda burro.

Se não podemos ter televisão na internet, então porque a televisão pode ter a internet?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: